Procon Goiânia faz balanço de ações em 2017

0
2708
Foto divulgação

Em um ano, o Procon Goiânia se consolidou como um dos órgãos mais atuantes da Prefeitura de Goiânia e atuou ao lado do consumidor com agilidade e celeridade em processos e demandas registrados no órgão.

Nas ruas, fiscais sempre atentos foram atrás de irregularidades em diversos estabelecimentos, apreenderam mercadorias vencidas ou impróprias para o consumo e registraram infrações. Foram realizadas várias pesquisas que orientaram os goianienses quanto aos produtos mais em conta e os locais com menores preços.

Em datas temáticas como carnaval, páscoa, dias das mães, dos pais, finados, natal, disponibilizou comparações que auxiliaram os consumidores a obter melhores condições na aquisição de produtos.

“Esperamos no próximo ano melhorar ainda mais o nosso trabalho e ouvir mais a população. Temos um canal aberto com atendimento presencial em nossa sede ou por telefone e internet, onde recebemos reclamações e denúncias”, destaca o superintendente municipal de Defesa do Consumidor, José Alício Mesquita.

Ainda de acordo com ele, o Procon conseguiu realizar um grande trabalho neste ano. “ Agimos em defesa dos consumidores em diversas situações, como as multas que aplicamos a empresas de celular, na apreensão de mercadores impróprias, em causas coletivas contra salões de beleza e na orientação sobre tendências de preços recentemente para a ceia natalina”, comenta.

O consumidor que se sentir lesado com a compra ou aquisição de qualquer produto ou serviço ou queira realizada denúncias, pode procurar a sede do Procon Goiânia, na Avenida Tocantins, número 191, setor central, ou pelo telefone 3524-2949. Todas as denúncias são protocoladas, apuradas e averiguadas por fiscais do órgão.

Principais Ações

– Operações de pesquisas de preços e condições de produtos no carnaval, páscoa, dia das mães, dos pais, finados, natal.

– Operações em postos de combustíveis, quanto ao preço, validade e informações sobre produtos, incluindo lojas de conveniência.

– Multas em 12 milhões de reais a operadoras de celular quanto ao mal atendimento aos usuários em Goiânia.

– Apreensão de produtos impróprios para o consumo.

– Operações em baladas para coibir preços diferentes praticados a homens e mulheres.

– Operações para averiguar as conformidades dos alvarás de estabelecimentos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here