Cresce o número de materiais reciclados em Goiânia

0
2677
Foto divulgação

Em Goiânia são produzidas em média, 34.620 toneladas de resíduos orgânicos por mês, o que equivale a 1.200 toneladas por dia. Desses resíduos, apenas 84 toneladas são encaminhado para reciclagem, num total de 7,7% em toda capital. Os dados são da Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg).

Em 2008, a Prefeitura de Goiânia, por meio de decreto Municipal, assinado pelo então prefeito Iris Rezende, implantou o Programa Goiânia Coleta Seletiva (PGCS), com o objetivo de diminuir o impacto ambiental e gerar emprego e renda na inclusão de catadores, além de aumentar a vida útil do Aterro Sanitário e reduzir custos.

O programa deu certo e a parceria foi firmada entre Prefeitura e 15 cooperativas que fazem a separação do material. Atualmente, algumas chegam a reciclar 70 toneladas de papel (papelão, papel misto e papel branco).
O dinheiro recebido pela venda desse material é dividido entre os cooperados e pode chegar à média de R$ 900,00 reais para cada um, por mês. A população tem contribuído com a separação desse material dando a destinação correta a esses resíduos, aumentando esse número cada vez mais.

Em janeiro de 2017 as cooperativas recebiam duas viagens de caminhão por dia, hoje com esse acréscimo de materiais reciclados, os cooperados estão recebendo três viagens por dia, sendo que o ano passado o caminhão tinha a lotação máxima de 24 mil metros cúbicos.

Com a nova frota de caminhões entregue pelo prefeito de Goiânia Iris Rezende, esse número cresceu para 45 mil metros cúbicos, uma aumento de 88%. Com incremento de material algumas cooperativas estão com os depósitos cheios e outras conseguiram aumentar o número de cooperados.

‘Quando a população faz o seu papel, consequentemente diminuímos o impacto ambiental. Por isso, há muito a se fazer, pois mesmo separando esses materiais, muitos cidadãos ainda deixam os dejetos juntos, fazendo com que esse material perca todo o valor”, afirma o presidente da Comurg, Denes Pereira.

O Presidente orienta que depois de separado o material, é só deixá-lo na porta de casa para serem recolhidos por um dos servidores da companhia. ‘Mesmo com o aumento substancial, é muito importante que a população continue atenta e buscando maiores índices de segregação’, concluiu.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here