Após reforma HGG se torna uma das principais unidades de transplantes do Centro-Norte

0
2040
Hospital Alberto Rassi / Foto divulgação

O Hospital Estadual Alberto Rassi (HGG) encerrou 2017 com aumento de 16,5% no número de internações e de 12,5% na realização de cirurgias, como resultado da excelência do modelo de gestão compartilhada com Organizações Sociais de Saúde (OSS) implantado pelo governador Marconi Perillo. Totalmente reformulado pela nova gestão, o HGG se consolidou em 2017 como um dos principais transplantadores do Centro-Norte, referência nacional nesta especialidade, realizando  83 transplantes renais.

Hospital Alberto Rassi / Foto divulgação
Hospital Alberto Rassi / Foto divulgação

O hospital passou a contar desde março com o Serviço de Transplantes Renais. A meta inicial era incrementar o número de transplantes realizados no Estado de Goiás efetuando cerca de 60 cirurgias em 2017. Mas o ano se mostrou ainda mais produtivo já que, em seis meses, a unidade bateu a meta estipulada para um ano.

O bom resultado colocou o HGG como um dos principais transplantadores do Centro-Oeste e referência nacional nesta especialidade, segundo dados do Registro Brasileiro de Transplantes (RBT). Fechou o ano com 83 transplantes renais, sendo destes 12 doações de órgãos intervivos e 71 doações de cadáveres.

Prestes a completar 60 anos, o HGG sempre teve um papel fundamental na medicina e na saúde pública de Goiás. Em 2017, a unidade deu um verdadeiro salto na assistência, ampliando sua oferta de serviços aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), tendo registrado  um número recorde de internações hospitalares, 8.170. O número é 16,5% maior que o de internações de 2016, quando foram registradas 7.012 entradas.

O HGG também bateu mais um recorde de cirurgias realizadas, com 6.067 procedimentos. As cirurgias tiveram um aumento de 12,5% em relação ao ano de 2016. É o terceiro ano que a unidade vem aumentando gradativamente sua produtividade cirúrgica, mantendo a qualidade e a segurança dos seus pacientes. Destaque para a Urologia, em primeiro lugar com 1.324 cirurgias, seguida de Cirurgia Geral (1.072). O ano também fechou com o incremento das novas especialidades de mastologia e ginecologia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here