Secretariado | Em aberto

0
1319
Posse dos novos auxiliares no Basileu França / Foto: Mantovani Fernandes

Com poucas mudanças, reforma administrativa começa tímida e ainda deixa espaços para novas articulações e negociações por apoio

Fagner Pinho

O governador Marconi Perillo (PSDB) e o vice-governador Zé Eliton (PSDB) realizaram, na última semana, a primeira etapa da reforma administrativa do governo estadual que irá deixar o terreno preparado para abril, quando o segundo assumirá o lugar do primeiro no Palácio das Esmeraldas.

Mas, ao contrário do que se esperava (e especulava), as mudanças foram poucas, com a saída dos secretários que irão se candidatar a cargos eletivos neste ano, além de algumas peças pontuais do governo, e a reposição de apenas algumas – não todas – as vagas sobrantes, além da troca de posicionamento entre algumas peças do primeiro escalão.

Clique aqui para ler a matéria em PDF
Clique aqui para ler a matéria em PDF

Com isso, tanto o governador quanto o vice deixaram muitas pastas, além das autarquias, em aberto, indicando que as negociações entre Zé Eliton e partidos tanto da base aliada quanto da oposição, continuam em aberto, e que estas deverão continuar, mesmo em meio a dúvidas e dificuldades de acerto com aliados antigos e também com os possíveis novos.

Até o momento, foram contemplados dois aliados de partidos que balançaram nos últimos meses entre base e oposição: o PSD e o PP. Mas, ao contrário do esperado, a negociação não ocorreu com os presidentes, ex-deputado Vilmar Rocha e senador Wilder Morais, respectivamente, mas sim com outros nomes.

No PSD, o contemplado foi o deputado federal Heuler Cruvinel, que indicou Hwaskar Fagundes, na Secretaria de Meio Ambiente, Recursos Hídricos, Infraestrutura, Cidades e Assuntos Metropolitanos (Secima). Já no PP, o contemplado foi o ministro das Cidades, Alexandre Baldy, que sequer se filiou na sigla até o momento, mas dá mostras de que quando chegar, comandará a legenda. Ele indicou Cleomar Dutra Ferreira na Agência Goiana de Habitação (Agehab).

Esta última indicação deu a entender que as negociações com o PCdoB, da deputada Isaura Lemos, não avançaram com Eliton. O partido estava negociando a entrada na base, mas teria colocado como condição o comando da agência. Coincidência ou não, dias antes o deputado federal e pré-candidato ao governo pelo MDB, Daniel Vilela, apontou a filha de Isaura, a vereadora Tatiana Lemos, como um dos nomes mais fortes de sua coligação na disputa pela Câmara Federal.

O PTB deve permanecer com o comando da SED, porém, deverá ainda indicar outro nome. O PR comanda a Goiás Turismo, mas ainda não acertou se permanecerá na base. O PDT negocia com o governo, mas ainda não foi contemplado. Por último, o Solidariedade, que comanda o Ceasa, tem conversando tanto com base quanto com a oposição. Tudo indica que as negociações sigam nos próximos meses.

Outros nomes

Além dos indicados por PSD e PP, houve algumas outras mudanças de perfil político, como o anúncio do ainda presidente regional do PSL, Benitez Calil, na Secretaria Extraordinária ocupada por seu filho, Lucas Calil, bem como a de Edivaldo Cardoso, presidente do PTdoB, que foi para a presidência da Celg Telecom.

As outras nomeações foram de perfil mais técnico, como Jarbas Rodrigues Júnior na Chefia da Comunicação Setorial do Gabinete Particular do Governador e João Bosco Bittencourt na presidência da Agência Brasil Central (ABC). Lucas Pugliese Tavares assumiu a Superintendência Executiva da Secima.

Alguns nomes dados como certos que devem assumir postos são Murilo Barra, na Secretaria Cidadã, por indicação do PSB; Manoel Xavier, na Secretaria de Estado da Fazenda, João Furtado Neto, na Secretaria de Estado de Governo; Ricardo Balestreri, na Secretaria de Assuntos Estratégicos; Irapuan Costa Júnior, na Secretaria de Estado de Segurança Pública; e José Siqueira, na presidência do Ipasgo. Henrique Tibúrcio recebeu convite para comandar a Sefaz, mas não aceitou, e definirá se aceita comandar o Detran nos próximos dias.

Ao anunciar as saídas dos titulares de algumas secretarias, chamou a atenção a forma como o governador agradeceu o apoio do ex-titular da Secima, Vilmar Rocha. Marconi disse que ele é “um amigo” e que foi um líder comprometido com o projeto do Tempo Novo. Frisou que ele abdicou de posições e perdeu eleição para ajudá-lo no governo. “Serviu com dedicação, respeito ao dinheiro público, tanto na Casa Civil quanto na Secima, com inigualável competência”, elogiou.

O governador também teceu elogios a deputada Lêda Borges, que deixou a Secretaria Cidadã; o ex-vereador Tayrone Di Martino, que deixou o comando da Segov; além de agradecer os deputados estaduais Talles Barreto e Lucas Calil, que deixaram secretarias e voltam à Assembleia. Também agradeceu Coronel Adailton, ex-chefe da Casa Militar, e pré-candidato a deputado estadual; o ex-presidente da Agehab, Luiz Stival; Edivaldo Cardoso; e o procurador-geral do Estado, Alexandre Tocantins.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here