Linha Direta | Caiado não irá se pronunciar sobre divisão no MDB

0
2082
Jefferson Rudy/Agência Senado

Logo Linha DiretaLideranças ligadas ao senador Ronaldo Caiado (DEM) garantem que ele não irá falar nada a respeito da situação interna do MDB, que hoje se encontra dividido no sentido de apoiar sua pré-candidatura ao governo do Estado ou a pré-candidatura do deputado federal Daniel Vilela (MDB). O democrata tem dito a apoiadores mais próximos que o contexto interno da sigla diz respeito somente a ela, por isso não irá tratar do tema. A ideia do partido é fortalecer o nome de Caiado junto a prefeitos da base e da oposição e atrair mais partidos hoje alinhados à candidatura do vice-governador José Eliton (PSDB). Conversas vêm sendo realizadas com partidos como PSB, PP e PDT e a expectativa é que algum destes anuncie apoio à candidatura do senador nos próximos dias. Aliados também esperam que depois de abril, um número maior de prefeitos e partidos irão aderir ao nome de Caiado.

Vazio

O deputado federal Célio Silveira (PSDB) está de saída do ninho tucano. Seu destino deverá ser o PP, ainda presidido pelo senador Wilder Morais. Além dele, o deputado Fábio Sousa também deixará o PSDB, mas ainda não definiu seu caminho.

Críticas

A secretária da Saúde de Goiânia, Fátima Mrue, não tem sido poupada sequer por colegas da Universidade Federal de Goiás (UFG), que reclamaram da descontinuidade de convênios firmados em gestões anteriores de estágio com faculdades da instituição.

Clique aqui para ler a coluna em PDF
Clique aqui para ler a coluna em PDF

Reforma

O prefeito Iris Rezende (MDB) já definiu alguns nomes que irão assumir pastas na primeira reforma administrativa deste mandato. Estão previstas mudanças na Seinfra, na secretaria de Governo e na Comurg, dentre outras.

Nome

Já está praticamente acertado o nome do vereador Vinicius Cirqueira (Pros), que deverá assumir Seinfra, hoje comandada de forma interina por Francisco Ivo. Com isso, a Secretaria de Administração (Rodrigo Melo-Pros), pode ser repassada para outra sigla.

Câmara

Iris Rezende, aliás, trabalha para formar uma base sólida de apoio na Câmara Municipal, que teria 18 vereadores. Com isso, o emedebista espera negociar mais seis nomes para apoiar o Paço em votações consideradas mais importantes pela gestão.

“Eu sei que essa mão que escreveu esse discurso não é sua.”
Marconi perillo, governador, em  resposta a discurso do deputado José Nelto (MDB)

1 Segurança I

O ex-delegado geral da Polícia Civil Álvaro Cássio, que deixou seu cargo na última semana, não será candidato a deputado estadual. Os candidatos ligados à Polícia Civil, portanto, deverão ser a deputada Adriana Accorsi e o vereador Eduardo Prado.

2 Segurança II

Quem já está com candidatura bem adiantada em busca de uma cadeira na Assembleia é o ex-comandante da Casa Militar da Governadoria e ex-superintendente-executivo da Segov, coronel Adailton. Ele já formou, inclusive, equipe de assessores.

3 Segurança III

Já o ex-comandante da Polícia Militar de Goiás, coronel Divino Alves, que deixou o comando da PM em solenidade ocorrida na última semana, irá esperar mais dois anos para iniciar seu planejamento político, pois pretende concorrer à Prefeitura de Iporá.

PHS à mineira

linha direto

Apesar de ter sido o deputado federal Marcelo Aro (MG) quem assumiu o comando nacional do PHS no lugar do goiano Eduardo Machado, quem realmente manda no partido é o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, que é ex-presidente do Atlético (MG), clube do qual Aro é conselheiro.

Modesto

Em entrevista à Rádio 730, o ex-secretário de Governo Tayrone Di Martino (PSDB) afirmou que uma das cadeiras na Câmara Federal pertencentes a Goiás é sua.

Voando

Sem papas na língua, Tayrone afirma que entrará na eleição para ganhar. “Sou um avião. Trabalho sem parar”, cravou, sem comedimento, mas com muita confiança.

Disputa

Mas antes de confirmar sua força, Tayrone já trava outra disputa, esta interna dentro da base, em busca do apoio da Igreja Católica, com o deputado Francisco Júnior (PSD).

Dúvidas

A indefinição sobre candidatura no PT pode fazer com que correligionários apoiem candidaturas de outras siglas e que já foram ligados ao partido.

Poder

O deputado federal Thiago Peixoto já atua como presidente do PSD. Ele tem buscado nomes de outros partidos para fortalecer a legenda até a janela partidária.

Convites

Thiago tentou levar para o PSD o deputado Lucas Calil e o vereador Lucas Kitão, ambos do PSL, mas foi barrado pelo deputado Roberto Balestra, que levará ambos para o PP.

coluna

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here