Experiência, aprendizado e prática de ensino

0
960

Professor da rede municipal passa 30 dias em uma das melhores escolas do mundo e aplica novas metodologias em escola da zona rural de Goiânia

Lívia Máximo

“Tanto tempo em um país como a Índia, foi uma grande inspiração para um professor como eu, mas viver a rotina de uma escola como essa foi um divisor na minha carreira”, afirmou o professor Cléssio Bastos. Servidor da rede municipal de ensino há mais de seis anos, ele chegou recentemente das terras indianas, onde passou 42 dias, 30 deles na The Riverside School, uma das melhores escolas do mundo.

Clique aqui para ler a matéria em PDF

Ele visitou também escolas dos países Uruguai, Peru e Angola. A passagem por esses países em três continentes diferentes foi o desdobramento de um trabalho realizado na Escola Municipal José Carlos Pimenta, localizada no distrito de Vila Rica, em Goiânia, onde leciona há três anos e atualmente é professor de Língua Portuguesa.

A The Riverside School foi criada há 18 anos e oferece o Programa de Imersão, que possibilita pessoas interessadas, por conta própria, em conhecer o método de funcionamento da escola se inscrever e receber formação durante um mês no centro de ensino Riverside Learning Center.

“É um modelo próprio de educação voltada para desenvolver a criatividade das crianças tornando-as “super-heróis”, cidadãos preparados para os desafios do nosso tempo e socialmente responsáveis. Tanto tempo em um país como a Índia, foi uma grande inspiração para um professor, mas viver a rotina de uma escola como essa foi um divisor na minha carreira”, afirmou o professor.

“Sinta, imagine, faça e compartilhe. Sinta o mundo a sua volta, imagine melhorias para ele, coloque-as em prática e compartilhe”

Segundo Cléssio, com uma metodologia baseada no Design Thinking, na Teoria das Múltiplas Inteligências e nos ensinamentos de Mahatma Gandhi, a Riverside torna a experiência escolar dos alunos mais relevante, conectada com as demandas atuais, intuitiva e interessante.

“Lá pude participar de aulas em um supermercado, em meio à natureza e nas ruas em torno da escola. Presenciei uma aula que pude ver como a escola prepara as emoções e o comportamento dos seus alunos para que eles saibam extrair o máximo de toda situação que oferecer oportunidade de aprendizado”, pontuou.

Durante todo o mês de janeiro, Cléssio esteve assistindo aulas com os alunos e participou de atividades na escola.

“No pátio ela apresenta seu lema de ensino em banners. São os dizeres: sinta, imagine, faça e compartilhe. Sinta o mundo a sua volta, imagine melhorias para ele, coloque-as em prática e compartilhe. É um lembrete da responsabilidade que a escola assume com seus alunos e professores de autoaperfeiçoamento em função do bem comum. E é neste sentindo que pesa, agora, a responsabilidade de ter tido a oportunidade de ir tão longe aperfeiçoar meu trabalho e traduzir para a realidade de uma escola pública o aprendizado colhido em uma das melhores escolas do mundo”, ressaltou o professor.

Ainda sem ter em mente um destino para uma próxima expedição, Cléssio voltou às atividades na Escola Municipal José Carlos Pimenta, com aulas de Língua Portuguesa.

“Mil ideias em mente e já colocando em prática o que aprendi na Índia. As boas formações têm esse poder, elas nos levam à reflexão, mas também nos apontam caminhos práticos. Na minha primeira semana de aula deste ano letivo, comecei a introduzir noções de design e gerenciamento de projetos para produção de textos, e já nas primeiras aulas avalio que o resultado foi muito bom, o que confirma o retorno certo do investimento em formação continuada de qualidade” concluiu.

Para Cléssio, o próximo passo é compartilhar com outros professores a experiência e a inspiração adquirida conhecendo escolas mundo afora.

“Nem todos têm a oportunidade de trilhar um caminho como o meu e, com o lema da Riverside na cabeça ‘sentir, imaginar e fazer’, eu sinto a responsabilidade de compartilhar com todos”, concluiu.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here