Eliton x Caiado: Clima de duelo na Tecnoshow, em Rio Verde

0
918
Abertura da 17ª Tecnoshow, em Rio Verde: feira segue até a sexta, 13 (Foto: Giullianna Conte)

Daniela Martins
Especial de Rio Verde

Cobranças do setor produtivo à categoria política, eleições de 2018 e referências à importância do agronegócio para a recuperação da economia deram o tom à abertura da 17ª Tecnoshow Comigo, em Rio Verde. Considerada a maior feira de tecnologia rural do Centro-Oeste, a Tecnoshow reúne no mesmo espaço produtores, empresários do ramo e, claro, lideranças de classe e políticos ligados à área. Em ano eleitoral, um importante palanque.

O governador José Eliton (PSDB), que teve na feira sua primeira agenda oficial depois de assumir o Estado no sábado, 6, chegou cedo, acompanhado de comitiva: deputados federais Heuler Cruvinel (PP) e Marcos Abrão (PPS); senadora Lúcia Vânia (PSB), ex-senador Demóstenes Torres; e deputados estaduais Lissauer Vieira (PSB), Daniel Messac (PSDB) e Karlos Cabral (PDT), além de outros.

Antonio Chavaglia, da Comigo (Foto: Giullianna Conte)

O anfitrião Antonio Chavaglia, presidente da Cooperativa Agroindustrial dos Produtores Rurais do Sudoeste Goiano (Comigo), foi o primeiro a discursar. Fez críticas aos juros para investimentos que têm “deixado o produtor apreensivo”. “São juros fora da realidade. Que dificultam o investimento a longo prazo e fazem o produtor perder sua capacidade produtiva. Muitos têm deixado o campo”, reforçou.

Chavaglia pediu uma “reflexão das autoridades” e lamentou a ausência do ministro da Agricultura, Blairo Maggi. Presidente da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), Márcio Lopes de Freitas também destacou a necessidade de “escolher gente séria para nos representar nas próximas eleições”.

O deputado Lissauer Vieira estava no começo do discurso quando foi interrompido pela chegada do senador Ronaldo Caiado (DEM), pré-candidato ao governo de Goiás ovacionado por parte do auditório, com gritos de “Caiadão”. Estava companhado do deputado estadual Iso Moreira (PSDB), senador Wilder Morais (PP) e pelo presidente da Faeg, José Mario Schreiner.

Terminado o alvoroço causado pela chegada de Caiado, Lissauer puxou a atenção para José Eliton, destacando a importância da primeira agenda dele como governador ser justamente em Rio Verde, e agradeceu ao pré-candidato à reeleição por “voltar seus olhos para a região, levando o nome de Rio Verde e de Goiás além fronteiras”.

José Mário de novo trouxe a temática das eleições, chamando a classe para votar pelo campo e fez referências ao “amigo Caiado” em seu discurso. “Agronegócio está reerguendo o país”, salientou.

E assim seguiram com os discursos deputado Heuler Cruvinel, senadores Lúcia Vânia e Wilder Morais. Até que chegou a vez de Caiado.

Ronaldo Caiado estava em casa. Redeu homenagens a Antonio Chavaglia e garantiu que o presidente da Comigo governaria o Estado ao seu lado, “se este Estado me eleger governador”. Citou seu empenho no impeachment de Dilma, fez referências à prisão do ex-presidente Lula, criticou a demora na conclusão da Rodovia Norte-Sul, via importante para o agronegócio, lembrou da falta de segurança e finalizou um discuso de mais de quinze minutos em nítido e agressivo tom de campanha.

“Quando muita gente desacredita em políticos, quero pedir aos produtores rurais, vamos transformar Goiás numa referência nesse país”, conclamou. E continuou “Goiás não será só referência global no agronegócio, mas referência nas eleições 2018, para construir um Estado modelo, para dizer ‘o Brasil tem solução’, desde que que se governe com transparência, autoridade moral, competência e coragem para enfrentar as diversidades. É hora, meu povo, é o ano eleitoral que está aí”.

José Eliton não se intimidou. À vontade, ressaltou sua ligação com Rio Verde. “Começo [a gestão como governador] caminhando pela minha terra natal. E o que esperar de José Eliton como governador? Esperem de mim determinação, força de vontade, obstinação. Esperem equilíbrio e prudência, jamais gritos, bravatas e frases feitas”, assegurou.

O governador fez compromissos de voltar a Rio Verde para inauguração de rodovias, e para lançamentos de obras do Goiás na Frente. “Sem picuinhas políticas”. Eliton enfatizou que o Goiás na Frente é um “conjunto de obras sem precedentes”, e lembrou o ex-governador Marconi Perillo como o “homem que projetou o Estado” e que “Goiás caminha à frente do país”. Finalizou com um recado, seguido por aplausos da outra parte do auditório: “Esperem de mim o homem determinado, homem que não teme cara feita, nem qualquer tipo de rastro de onça”.

Pesquisa Serpes

Antes da abertura da feira, o governador José Eliton e o presidente da Comigo, Antonio Chavaglia, falaram com os jornalistas. Da repórter Giuliane Alves, Rádio Sagres, veio a pergunta do dia: a avaliação de Eliton sobre a pesquisa Serpes/O Popular.

A pesquisa divulgada na manhã desta segunda-feira, 9, mostra, na estimulada, o senador Ronaldo Caiado (DEM) com 39,7%, o governador José Eliton (PSDB) com 6,7% e Daniel Vilela (MDB) com 6,2%.

Tranquilo, José Eliton reafirmou o discurso de que há espaço para o crescimento de sua candidatura ao governo do Estado.

“Tenho dito e reiterado que pesquisas nesse momento pouco significam. É um retrato da fotografia do momento. Mas, de qualquer sorte, se compararmos a Serpes publicada hoje com a Serpes publicada pela Acieg em dezembro último, vamos observar que os dois candidatos adversários perderam pontos significativos e eu fui o único pré-candidato que cresci. Portanto, a pesquisa que eu quero vencer é do dia 7 de outubro.”

A Feira

A Tecnoshow segue até sexta-feira, 13, com a expectativa de receber mais de 110 mil visitantes e alcançar, ou mesmo superar, o montante de 1,7 bilhão de comercialização durantes os cinco dias de evento. São 550 expositores, além da realização de palestras, exposição de animais e muito mais. A feira é realizada no Centro Tecnológico Comigo (CTC).

Mais informações e toda a programação da feira: www.tecnoshowcomigo.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here