Daniel Vilela diz que falta fiscalização das OSs da saúde em Goiás

0
859
Foto: Nilson Bastian

Em discurso no grande expediente da Câmara na tarde desta terça-feira (10), o deputado federal Daniel Vilela (MDB) afirmou que a alta reprovação dos goianos à gestão do governo do Estado na área da saúde é fruto da falta de fiscalização do trabalho das Organizações Sociais na gestão dos hospitais e dos feudos políticos instalados na administração estadual. Daniel citou pesquisa Serpes/O Popular na qual 53% dos goianos disseram que a saúde é a área na qual o governo mais tem deixar a desejar.

“Temos visto que a população se sente desamparada na saúde. O governo de uma hora para outra achou que devia transferir toda sua responsabilidade na gestão dos grandes hospitais, passando para as Organizações Sociais, sem saber se essas entidades tinham a expertise necessária para o desafio”, afirmou Daniel Vilela, lembrando que algumas delas foram “criadas do dia pra noite” e agora deixam a desejar no serviço prestado à população.

“Não sou radicalmente contra as OSs. Considero esse modelo interessante, mas desde que construído com a regulamentação adequada, com transparência e com mecanismos que assegurem resultados satisfatórios para a população”, disse o pré-candidato ao governo de Goiás pelo MDB. O deputado afirmou também que estas distorções são fruto de feudos instalados há anos na administração, em diversas áreas. “Esses grupos não permitem que a inovação e os bons projetos cheguem ao governo de Goiás”.

O emedebista lamentou que a rede de saúde estadual esteja concentrada basicamente na capital e que projetos de novos hospitais, como o de Santo Antônio do Descoberto, na região do Entorno do Distrito Federal, acumulem mais de uma década de atraso. “Temos em Goiás uma política de centralização de grandes hospitais na Região metropolitana, fomentando a velha política da ‘ambulancioterapia’. Por isto quando os municípios conquistam um recurso para adquirir um veículo, vira motivo de festa na cidade, pois a população sabe que tem que recorrer à capital para tentar atendimento”, disse.

Em reunião com empresários na noite anterior, promovido pela Adial, Daniel defendeu a descentralização da rede de saúde e o uso de tecnologia da informação para melhorar o atendimento. Segundo ele, buscar parcerias com a iniciativa privada para aumentar as opções para a população e fazer ações emergenciais nos municípios para desafogar a demanda são propostas que estarão contempladas no plano de governo que ele está elaborando ao lado de uma equipe de especialistas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here