Segundo a Secretaria da Segurança, 80% dos crimes como os registrados em Ipameri são resolvidos

0
476
Foto: Humberto Silva

O índice de resolutividade de crimes como os registrados em Ipameri na madrugada desta terça-feira (8/5) é de 80%, mostram dados da Secretaria de Estado de Segurança Pública divulgados hoje. Das 15 ocorrências envolvendo instituições bancárias neste ano, 12 já foram solucionadas e os inquéritos remetidos ao Judiciário, informou o secretário Irapuan Costa Júnior ao detalhar a força tarefa criada para apurar e prender os criminosos envolvidos nos ataques no município do Sudeste Goiano.

Por determinação do governador José Eliton, Irapuan coordena uma grande força-tarefa formada por todas as forças policiais de Goiás para investigar as ações e prender os criminosos envolvidos nos ataques a agências bancárias e a uma joalheria nesta madrugada em Ipameri. “Estamos trabalhando incansavelmente. Todas as providências estão sendo tomadas para solucionar esse caso”, afirmou.

Para elucidar o crime, equipes da Polícia Militar, por meio do Batalhão de Operações Especiais (Bope), Grupo de Patrulhamento Aéreo (GRAer) e do Comando de Operações de Divisas (COD), já estão envolvidas na operação. A Polícia Civil, através do Grupo Antirroubo a Bancos (GAB), também já atua para elucidar o crime.

Logo no início desta manhã, o comandante-geral da PM, coronel Sílvio Vasconcelos, e o delegado-geral da Polícia Civil, delegado André Fernandes, se deslocaram até Ipameri. Informações iniciais apontam que os ataques foram cometidos por homens com armas longas e curtas. Eles utilizaram uma caminhonete Hilux e um veículo IX 35 para atacar três agências bancárias, uma agência dos Correios e uma joalheria. Nenhuma pessoa foi feita refém ou ficou ferida.

Importante destacar que diversas ações para coibir esse de crime têm sido realizadas. Das 15 ocorrências envolvendo instituições bancárias neste ano, 12 já foram solucionadas e os inquéritos remetidos ao Judiciário. Mais de 15 armas de fogo também acabaram apreendidas com esses grupos criminosos. A maioria é de calibre restrito.

Repressão ao crime – A título de ilustração, nos últimos dias, a Polícia Militar, por meio da Rotam, e a Polícia Civil, através do Grupo Antirroubo a Bancos (Gab), desarticularam uma associação criminosa interestadual especializada em roubos e furtos de agências bancárias. Quatro pessoas acabaram mortas em confronto com os policiais. Parte do grupo estava envolvido em um ataque ao caixa eletrônico de uma farmácia, em Aparecida de Goiânia, enquanto os demais foram encontrados na zona rural de Ouvidor, onde se preparavam para atacar uma agência bancária.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here