Aparecida de Goiânia chega aos 96 anos atraindo cada vez mais empresas

0
967
Foto: Divulgação

Nos últimos dez anos, o número de empresas com CNPJ ativos em Aparecida de Goiânia subiu de 6 mil para cerca de 40 mil, segundos dados da Prefeitura do município. Só ano passado 1.111 empresas foram registradas por lá, fazendo com que Aparecida figurasse na segunda posição no ranking das cidades goianas com o maior número de empresas registradas em 2017 de acordo com informações da Junta Comercial do Estado de Goiás (Juceg).

Situada na Região Metropolitana de Goiânia, a 70 km de Anápolis e 210 km de Brasília, Aparecida, tem a rodovia BR-153 como principal meio de acesso. Devido à localização privilegiada, a cidade, que completa 96 anos nesta sexta-feira, 11, tornou-se altamente atrativa para investidores e empresários de diversos setores, o que resultou em um significativo crescimento do mercado imobiliário na região.

Segundo a Associação Comercial e Industrial de Aparecida de Goiânia (Aciag), 70% do território da cidade está ocupado pelo setor imobiliário, com lotes e diversas áreas de moradias e setores industriais. O diretor comercial da Brasil Brokers Tropical Imóveis, Francisco Borela, reforça que a localização estratégica do município é um dos principais fatores que a faz despontar como um grande mercado imobiliário.

“Aparecida é uma cidade que está longe de ser dependente da capital goianiense, tendo sua própria identidade, com oferta de muitos lançamentos imobiliários nos mais diversos segmentos e tipos de empreendimentos”, afirma.

Atualmente, a imobiliária possui imóveis para revenda, aluguel e lançamento em Aparecida de Goiânia. A maior procura gira em torno de imóveis residenciais de padrão econômico.

Na área empresarial e industrial, o município também se destaca. Um dos recentes lançamentos imobiliários nesse perfil é o Complexo Empresarial Metropolitano Norberto José Teixeira (CEM), lançado institucionalmente dia 15 de março. A área que abrigará o empreendimento supera os 2,2 milhões de metros quadrados, o equivalente a mais de 150 campos de futebol.

O terreno onde o CEM será construído pertence à Companhia de Desenvolvimento Econômico de Goiás (Codego). A implantação do complexo, um condomínio fechado destinado a empresas e indústrias, será por meio de parceria imobiliária entre a Codego e as empresas ABL Prime, Concreta Construtora e Máximo Construtora e Incorporadora. A previsão de investimento privado no empreendimento se aproxima dos R$ 180 milhões, no total.

Mais de 12 mil empregos previstos

O início das obras no CEM está previsto para agosto deste ano e a projeção é que nessa fase o empreendimento gere mais de 400 vagas de empregos, entre diretos e indiretos. Depois da instalação e operação das empresas industriais e comercias que irão fazer parte deste complexo, Marcos Mineo estima que sejam criados mais de 12 mil empregos diretos e 25 mil indiretos.

O empreendimento terá um total de 331 lotes, sendo 268 voltados para indústrias e empresas, divididos em 963,5 mil metros quadrados; 62 comerciais, em 66,3 mil metros quadrados; além de uma área de quase 70 mil metros quadrados que reunirá mall, hotel e truckcenter.

O início da comercialização dos lotes no local está programado para ocorrer em agosto deste ano. A entrega do empreendimento está prevista para o final de 2020.

“O CEM não poderia estar melhor localizado. Aparecida de Goiânia é a cidade que mais gerou empregos em Goiás e a segunda do Brasil em 2017 só perdendo para Joinvile (SC)”, afirma Marcos Mineo, diretor técnico do consórcio responsável pela implantação e gestão do CEM. Mineo destaca que Aparecida tem uma enorme vocação industrial com seus vários distritos industriais implantados. “Além disso, possui uma malha viária muito eficiente e uma vantagem logística fantástica pois localiza-se no centro do Brasil e é servido muito bem por todos os modais tanto rodoviário, ferroviário e aeroviário,” diz Mineo.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here