José Eliton regulamenta Marco Legal de Ciência, Tecnologia e Inovação

0
905
Foto: Marco Monteiro

O governador José Eliton abriu o Seminário Marco Legal de Ciência, Tecnologia e Inovação na manhã desta terça-feira (15), no Palácio das Esmeraldas, anunciando ações de inovação, como o lançamento dos Centros Vocacionais Tecnológicos Móveis, espaços nos quais serão ministrados cursos profissionalizantes, e a oferta bolsas de mestrado, doutorado e pós-doutorado. “Nós estamos aqui para construir, para olhar o futuro e construir uma agenda que possa ser importante para o amanhã, uma agenda que possa impactar a vida das pessoas, envolvendo a educação, a ciência e a tecnologia, prioritária pra qualquer estado ou nação que queira se projetar no século atual”, afirmou o governador.

O objetivo do seminário, além de propagar a educação ligada à tecnologia, é o de desburocratizar as atividades científicas no País e criar mecanismos para integrar instituições científicas e tecnológicas e incentivar investimentos em pesquisa com aportes nacionais e internacionais.

“Essa é uma agenda articulada, na qual todos acabam por auferir resultados a partir da determinação de um governo em investir nessa área”, enfatizou José Eliton. O seminário marca a regulamentação do Marco Legal de Ciência, Tecnologia e Inovação, que já foi realizada na esfera federal, e agora se torna realidade nos estados, com Goiás figurando entre os pioneiros. O governador anunciou, ainda, os Centros Vocacionais Tecnológicos Móveis e assinou convênio referente ao programa Nexa Talentos Inovadores.

Ao comentar a importância dos recursos destinados pelo Tesouro Estadual para o setor de tecnologia, José Eliton disse que vai lançar, em breve, investimentos em modalidades esportivas de alta performance: “Estaremos lançando nos próximos dias a Faculdade de Esportes de Goiás, com o Centro de Excelência quase pronto, faltando apenas o parque aquático”.

Sobre a universalização do Ensino Superior, disse acreditar que num prazo de um a dois anos o governo poderá, por intermédio da UEG, “universalizar a oferta de graduação superior em todos os municípios goianos, através da Universidade Virtual do Estado de Goiás”.

A presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg) e do Conselho Nacional das Fundações de Amparo à Pesquisa (Confap), Maria Zaira Turchi, entende que “Goiás está tendo um protagonismo muito importante, em função de o Governo do Estado ter assumido o debate com todos os envolvidos”.

“Nosso Estado tem sido um exemplo para o Brasil. Quando eu estava tratando, em Brasília, com o ministro de Minas e Energia, eu disse a ele que Goiás não é problema para o Brasil, mas que Goiás é a solução”, disse o presidente da Federação das Indústrias de Goiás (Fieg), Pedro Alves de Oliveira.

Foto: Wildes Barbosa

Ele destacou a parceria de sucesso entre o setor produtivo industrial e o Governo de Goiás, e fez referência à gestão do governador José Eliton que “está dando, agora, seu torque de gestão”. Para ele, o seminário “é uma prova dessa parceria de inovação tecnológica”; e fez questão de dizer que “a Federação das Indústrias é parceira do Estado”, e que a instituição está pronta para “ajudar, para contribuir, não só com o desenvolvimento econômico, mas também com o desenvolvimento social”.

“Eu fico entusiasmado com o que vejo. Goiás é uma referência para nós. Acompanho e me inspiro com o que acontece em Goiás, uma referência importante quando se fala em desenvolvimento tecnológico, inovação, em desenvolvimento econômico e social”, pontuou o secretário de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento do Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Álvaro Prata.

Centros Vocacionais

Os Centros Vocacionais Tecnológicos Móveis, que receberam R$ 2,5 milhões em investimentos, são unidades de ensino e de profissionalização voltados para difundir conhecimento científico e tecnológico, técnico prático, além da transferência de conhecimentos aplicáveis à melhoria dos processos produtivos. “Os Cotecs Móveis, três, no total, serão levados a regiões do agronegócio onde não temos Itegos e nem Cotecs para entendermos os cursos profissionalizantes de acordo com a demanda de cada região, com pesquisas em microbiologia, alimentos e cursos sociais, capacitando cerca de 2,4 mil alunos por ano”, ressaltou o secretário de Desenvolvimento Econômico, Leandro Ribeiro.

Nexa

O programa Nexa Talentos Inovadores, uma parceria da Fapeg e o IEL/Goiás, visa selecionar propostas pra projetos que vão contribuir para a competitividade, o desenvolvimento científico, tecnológico e inovação. “Esse projeto pioneiro, junto com o setor empresarial e o IEL, visa colocar profissionais nas empresas para movimentar a inovação, e outros acordos que envolvem a Fapeg”, explicou Maria Zaira.

Compareceram também à solenidade o procurador-geral do Estado, Luiz César Kimura; o procurador-chefe do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Leopoldo Gomes Muraro; e o diretor executivo da Fundação de Apoio à Pesquisa (Funape) da UFG, Orlando Afonso Valle do Amaral.

Foto: Wildes Barbosa

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here