Bailarinos goianos viajam aos Estados Unidos

0
861
Carolyne e Marcos Vinícius participarão do International Ballet Competition, em Jackson Mississipi (EUA)

Manoel Messias Rodrigues

Após apreensão devido ao custeio da viagem, eles receberam a notícia de que o Governo estadual pagar á as despesas com passagens e hospedagem

Os bailarinos Carolyne Freitas Galvão e Marcos Vinícius Silva, alunos de Dança do Instituto Tecnológico do Estado de Goiás (Itego) em Artes Basileu França, representarão o Estado de Goiás no International Ballet Competition, concurso que acontece em Jackson, Mississipi (EUA) entre os dias 6 e 24 de junho. Apenas três bailarinos brasileiros foram aprovados para o concurso, que ocorre de 4 em 4 anos e é aberto apenas a bailarinos convidados graças às suas notáveis habilidades. Por lá passam estrelas da Escola de Dança do Ballet Bolshoi e de outras importantes companhias.

Bailarina e aluna do Itego em Artes Basileu França, Carolyne Freitas agradeceu publicamente o apoio do Governo de Goiás no sentido de dar condições para que ela e Marcos Vinícius viajem aos Estados Unidos. A participação dois bailarinos goianos só será possível graças ao apoio financeiro do Governo de Goiás, que, segundo a direção do Basileu França, acredita e investe regularmente na formação dos artistas de Goiás.

“Eu estava muito preocupada porque achei que não conseguiria viajar com meu colega Marcos Vinícius e minha professora Simone Malta para participar do concurso. Nossa viagem estava dependendo do andamento de um monte de coisas para dar certo. O governador José Eliton ficou sabendo disso e nos deu uma ajuda que foi demais. Nem tenho como agradecer”, declarou Carolyne na terça-feira, em suas redes sociais, após ser informada que os trâmites para a ajuda financeira para realizar a viagem haviam sido destravados no Governo estadual.

Carolyne Freitas foi uma das vencedoras do Prix de Lausanne 2018 (maior evento competitivo de dança/ballet do mundo) e também escolhida pelo voto mundial e público. Em agosto ela embarca para a Inglaterra para integrar o English National Ballet e continuar sua jornada na dança como profissional, graças a sua performance de altíssimo nível.

Marcos Vinícius Silva também já participou do Prix de Lausanne, ganhou bolsa para estudar fora e ficou um período no exterior, mas continuou sua preparação no Basileu França, inclusive para se aperfeiçoar para a competição em Jackson.

Para a diretora do Itego em Artes Basileu França, Lóide Magalhães, o incentivo financeiro aos jovens artistas é indispensável para que conquistem a sonhada profissionalização.

“O Governo de Goiás tem trabalhado de forma intensa para que o nosso estado sirva de modelo na educação profissional, dando total apoio à cultura e permitindo, assim, que nossos artistas sejam reconhecidos no Brasil e no exterior”, disse Lóide Magalhães.

A diretora do Instituto Basileu França disse ainda que o estudo de alguma expressão artística é essencial para a formação acadêmica e humanística de jovens e adolescentes.

“A arte contribui para o aprendizado, no desenvolvimento físico, cognitivo, social, afetivo e cultural dos cidadãos. Quanto mais escolas profissionalizantes de artes tivermos no estado, maiores serão os benefícios para a sociedade. Elas dão um retorno incaulculável. Agradecemos de coração a sensibilidade e investimentos do Governo de Goiás na educação profissionalizante e na cultura”, salientou.

Carolyne Freitas foi uma das vencedoras do Prix de Lausanne 2018, na Suíça

Apoio

De acordo com a coordedadora geral da Dança do Itego Basileu França, Simone Malta Segurado, sem o apoio permanente do Governo de Goiás, não seria possível aos alunos do Instituto participar de concursos nacionais e internacionais, além de se apresentarem em diversos festivais de dança, música, teatro, artes visuais e circo. Esses exemplos geralmente acontecem anualmente e mobilizam toda a estrutura da escola, especialmente professores de dança e estudantes, que montam espetáculos e ensaiam por meses a fio para as competições.

BOLSAS
Cerca de 20 bailarinos goianos já foram contemplados com bolsas e continuaram seus estudos em instituições de várias partes do mundo Carolyne Freitas foi uma das vencedoras do Prix de Lausanne 2018, na Suíça.

Exemplo disso foi a participação de Carolyne Galvão no Prix de Lausanne 2018, na Suíça, se classificando entre as oito melhores bailarinas. Ela também participou do Youth America Grand Prix, de Nova York, um dos principais festivais competitivos de dança do mundo, e do Festival de Moscou, em 2017.

Os alunos do Basileu França têm participado do Youth America Grand Prix há mais de 10 anos. Cerca de 20 estudantes já foram contemplados com bolsas e continuaram seus estudos em instituições de várias partes do mundo. Alunos de dança do Basileu França já foram premiados em diversos outros festivais famosos, como Lausanne (Suíça), Moscou (Rússia), Amsterdã (Holanda), Berlim (Alemanha), Córdoba e Buenos Aires (Argentina), São Paulo e Joinville.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here