Atlas da Violência revela que taxa de homicídios cresceu 175% em quase 20 anos, diz Ronaldo Caiado

0
1212
Foto: Internet

Durante o governo de Marconi Perillo, a taxa de homicídios em Goiás cresceu quase 175%. A variação se refere aos índices de assassinatos ocorridos no estado desde que Perillo assumiu o governo em 1999 até 2016, último ano em que houve a medição do Atlas da Violência, estudo divulgado anualmente pelo IPEA em conjunto com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública. A taxa saiu de 16,5 homicídios para cada 100 mil habitantes, em 1999, para 45,3 homicídios para cada 100 mil habitantes, em 2016. O dado mais recente foi divulgado nessa terça-feira (5/6) e revelou que o estado figura entre os oito mais violentos do país. Se for considerado o período de 2006 a 2016 o índice apurado cresceu 72,2% em Goiás.

A taxa no estado é bem superior à média nacional que já é a maior da história. Enquanto em Goiás o índice apurado em 2016 chegou a 45,3 homicídios para cada 100 mil habitantes, no país a média é de 30,3 para cada 100 mil habitantes. O índice é ainda mais alto na faixa etária de 15 a 29 anos de idade: 96,4 a cada 100 mil habitantes, também bastante superior à média nacional entre os jovens que é de 65,5 homicídios a cada 100 mil habitantes.

“Os dados são alarmantes e comprovam o clima de terror que o goiano vive todos os dias. Estamos vendo subir o número de jovens assassinados a cada ano, o avanço das facções criminosas que disputam o controle do estado, enquanto o governo do estado só reduziu o investimento da segurança pública, desvalorizou nossos policiais e optou por inflar o orçamento da publicidade de ações que só existem na propaganda de Marconi Perillo. A violência é bem real, como esse estudo comprova”, pontua Caiado.

“Valorizar os agentes de segurança e investir no setor de inteligência da polícia são compromissos que já firmei com pré-candidato ao governo do estado para mudar esse quadro. Não é promessa. É compromisso”, disse.

Saiba mais

O estudo foi elaborado com base em dados do Ministério da Saúde e considerou informações obtidas entre os anos de 2006 e 2016. No caso de Goiás, a taxa entre os jovens de 15 a 29 anos subiu 90,3% em dez anos. Se considerar o número absoluto de homicídios nessa faixa etária, a quantidade de assassinatos cresceu 103% no período estudado, passando de 825, em 2006, para 1675, em 2016.

Outro dado que choca toda a população: Goiás é o estado com pior índice de homicídios de mulheres negras – 8,5 a cada 100 mil habitantes e tem uma desigualdade acentuada: a taxa entre mulheres não negras é menos da metade (4,1).

Goiás tem ainda índices superiores aos seus vizinhos Tocantins: 37,6 homicídios a cada 100 mil habitantes e Distrito Federal: 25,5 mortes a cada 100 mil habitantes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here