Altair Tavares: A insistente indefinição

0
1201
Clique para ler em PDF

A primeira rodada da pesquisa Exata OP/Tribuna do Planalto leva a análises sobre a insistência persistente da “senhora” indefinição para governador de Goiás. As aproximações e distanciamentos do processo eleitoral apresentam variações com curiosidades e movimentações significativas. Estamos no contexto pré-Copa e pós-manifestação dos caminhoneiros, portanto, terreno de muitas dúvidas.

Após dois meses de exercício no cargo de governador de Goiás e de todas as ações desenvolvidas, o pré-candidato José Eliton (PSDB) figura no segundo lugar além da margem de erro da pesquisa. É uma situação nova que revela uma gradual consolidação da candidatura que, apesar do percentual de 14,01% ainda precisa, e muito, de crescer em alguns territórios (Anápolis; Goiânia; Aparecida de Goiânia, por exemplo) e manter a boa posição em outros (Rio Verde; Santa Helena; Águas Lindas; Goianésia).

Pesquisa mostra eleição aberta

Para Daniel Vilela (MDB) a boa surpresa na pesquisa foi o índice conquistado em Aparecida de Goiânia (25,3%) por causa administração de Maguito Vilela, principalmente. O deputado federal também tem um perfil de eleitores mais jovens que revela uma possibilidade de que ele possa crescer pelo eleitorado indeciso nesta feira que é muito grande (entre 26% e 30%).

A liderança de Ronaldo Caiado (DEM) continua, como em outras sondagens, mantendo uma posição confortável para o candidato, mas que continua num teto do qual não consegue se distanciar dos outros. O maior adversário do senador continua sendo o eleitor indeciso (17,3%) e aquele que vota nulo (25,4%), segundo a pesquisa. Para crescer e manter a liderança ele precisa, desesperadamente, que estes eleitores não migrem para as candidaturas de José Eliton e de Daniel Vilela.

Vassil Oliveira – Briga no Senado vai definir jogo para o governo

Com estes, e diversos outros dados da pesquisa, os ânimos de apoiadores e candidatos continuam exaltados. Não há eleição fácil para ninguém e uma parte significativa dos eleitores – em especial, o feminino – mantém-se distantes dos candidatos e suas campanhas. Eles ainda não mostraram o que pretendem, nem seus projetos, nem programas de governo. “O eleitor quer saber de resultado”, disse um ouvinte do Jornal da Manhã, na Rádio Bons Ventos. Enquanto isso, a persistência da indefinição continua a ser a estrela do processo eleitoral.

Altair Tavares é comentarista da Rádio Bons Ventos; edita o www.altairtavares.com.br e o www.diariodegoias.com.br