“Precisamos sair do governo analógico e avançar para o digital”, afirma Daniel Vilela

0
169
Foto: Divulgação

O pré-candidato a governador pelo MDB, deputado federal Daniel Vilela, afirma que “Goiás precisa sair do governo analógico e avançar para o digital”. O parlamentar tem defendido ações modernizadoras da máquina pública mas com o foco voltado para facilitar a vida do cidadão. “Não adianta falar em modernidade e inovação se não estão levando os benefícios disso para o cidadão”, avalia.

O emedebista tem apresentado propostas que unem a tecnologia ao serviço público, como uma digitalização legítima do Vapt Vupt. “Governo digital não se resume a criar um site para reunir telefone, endereço e horário de funcionamento de órgão público, como existe hoje. Nossa proposta é realmente levar para a mão do cidadão, por meio do celular, a possibilidade de agilizar atendimentos, agendar  horários ou, dependendo do caso, nem precisar ir a um prédio público para resolver sua demanda.”

Daniel cita que hoje muitos serviços privados já fazem do smartphone seu único meio de contato, agilizando a vida do cliente. “Hoje em dia é possível abrir uma conta bancária e movimentá-la somente pelo celular. O cidadão manda a foto do seus documentos, faz uma assinatura digital, envia sua fotografia em tempo real, enfim, poupa o tempo dele e possibilita também economia ao dispensar a manutenção de grandes estruturas. Nós vamos levar esse tipo de iniciativa para o governo de Goiás”, afirma.

O pré-candidato afirma que, com o uso da tecnologia nos serviços oferecidos pela administração pública, será possível economizar recursos para investir em áreas essenciais e de atribuição do Estado, como Saúde, Segurança e Educação. “Planejamento estratégico e otimização de recursos: esse é o caminho do sucesso nas grandes empresas e precisa ser também na administração pública. Queremos trazer esse olhar para o governo de Goiás, que há muito tempo deixou de ousar e atrapalha a vida do cidadão com sua burocracia.”

Saúde

O deputado já apresentou também uma proposta que usa a tecnologia para melhorar o atendimento em saúde. Ele classifica a ideia como o “uber da saúde”: “No Uber, o cidadão coloca lá os dados uma vez e eles ficam registrados. Vamos fazer o mesmo com os prontuários médicos. Uma vez que o cidadão tenha o aplicativo instalado, suas informações já estarão ali e ele terá consultas com data e hora marcada, dentro da especialidade desejada, seja o médico da rede pública ou privada que tenha convênio com o Estado.”

Daniel ressalta que, para aquelas pessoas que não têm acesso a smartphones, o Estado manterá os canais de atendimento presencial e telefônico. “Embora muitas pessoas já tenham smartphones, a gente sabe que uma parcela da população ainda sem acesso a essa tecnologia, por isso serão mantidos locais para atendimento presencial”, pondera.

Segurança

O parlamentar cita também exemplos do uso da tecnologia na área de Segurança Pública para reduzir a criminalidade. “Monitoramento eletrônico massivo e interligado tem se mostrado muito eficiente, e Goiás precisa avançar nisso”, afirma. Ele lembra que, em 2016, o governo de Goiás investiu apenas R$ 225,7 mil em informação e inteligência. “Isso é insuficiente para garantir a segurança da população”, critica.

Ele cita o exemplo de Jandaia, um município de aproximadamente 6200 habitantes, que conseguiu reduzir a criminalidade com a instalação de 26 câmeras. “Ninguém entra ou sai de Jandaia sem ser monitorado e isso fez a incidência de crimes reduzir. Esse exemplo precisa ser levado para outros municípios e, com uma rede de informação, a polícia será capaz de solucionar crimes com mais agilidade ou mesmo evitar que aconteçam, porque os bandidos se sentirão coibidos.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here