Copa da aprendizagem

0
611
Foto: Eulices Maria

Daniela Rezende

Escola Municipal Buena Vista, em Goiânia, usa a Copa do Mundo 2018 para desenvolver projeto interdisciplinar

A Escola Municipal Buena Vista, na região oeste da Capital, se preparou para um dos maiores eventos esportivos do planeta. Desde o início de maio, os professores da unidade educacional desenvolveram com cerca de 950 alunos do Ensino Fundamental, com idade entre 6 e 12 anos, o projeto “Copa do Mundo 2018”. No dia da abertura da Copa, 14 de junho, a escola promoveu um momento com exposição de trabalhos e apresentação musical com libras.

“É um tema atraente para os alunos, que foram envolvidos juntos com suas famílias a entenderem um pouco mais desse evento mundial globalizado”

De forma interdisciplinar e transversal, o projeto incluiu conteúdos de todas as matérias e buscou valorizar a diversidade na escola, com a aprendizagem de libras, dança temática na festa junina, entre outras ações.

Turma com deficiente auditivo ensaiou música temática em libras
Foto: Eulices Maria

“É um tema atraente para os alunos, que foram envolvidos juntos com suas famílias a entenderem um pouco mais desse evento mundial globalizado. Esses educandos vão assistir os jogos com uma visão melhor”, relata a diretora da unidade escolar, Elenir Batista de Miranda.

“No conteúdo de Inglês, por exemplo, a professora trabalhou as bandeiras, nacionalidades e vocabulário na língua inglesa. Na Geografia, os países e continentes. Em História, os alunos aprenderam a história das copas e dos campeões. Em Ciências, alimentação saudável dos atletas. Em Educação Física, as regras do futebol e o evento. E por aí vai”, completa a diretora.

Professor de Matemática, Júlio Rodrigues Costa trouxe a organização dos grupos da Copa e a tabela para dentro da escola.

“O sistema de classificação, as eliminações que se fazem para chegar à segunda fase, o chaveamento na segunda fase, a formação da Copa, formato do campo. A matemática foi trabalhada de forma prática, trazendo para a realidade do aluno, junto com as regras”, destaca o professor.

A professora intérprete de libra Márcia Pedrosa de Melo Grycuk ensaiou a música “Todo Mundo”, da cantora Gaby Amarantos. A canção trabalhada com a turma de quinto ano foi importante para o aluno Douglas, deficiente auditivo que aprende sua primeira língua na escola.

“Com muita animação, as crianças tiveram bastante interesse pela música, que também foi apresentada em nossa festa junina”, explica a educadora.

A aluna Claryanne Ribeiro, 11 anos, do sexto ano, gosta de futebol e está adorando o projeto.

“Aprendi sobre os países que vão jogar, bandeiras, a cultura. Li muitos textos nas aulas. O que mais me chamou atenção foi quando o professor falou que todos podem jogar, não só os meninos”, conta a aluna.

Evento é tema de outra escola

A Escola Municipal Professor Moacir Monclar Brandão, no Jardim América, também trabalhou a Copa do Mundo como objeto de estudo. Dentro do tema transversal “Pluralidade Cultural”, o projeto permite aos alunos do ciclo II (4° ao 6°ano) a descoberta e o conhecimento de diferentes culturas, por meio de pesquisas, debates, atividades extraclasse.

“Além de abordar culturalmente a temática, estamos tendo um campeonato entre as turmas, com explicação das fases, como é feito”

De acordo com a diretora da escola, Patrícia Caetano de Medeiros Borges, o projeto enriqueceu as aulas.

“Despertou o interesse dos alunos de maneira geral, tanto meninos como meninas. Além de abordar culturalmente a temática, estamos tendo um campeonato entre as turmas, com explicação das fases, como é feito, de forma a contextualizar com a organização de uma competição. Na última semana de aula do mês de junho serão realizados jogos amistosos para encerrar o semestre”, afirma a dirigente.

Foto: Eulices Maria

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here