Combate à corrupção será a maior prioridade do governo, diz Caiado

0
358
Foto: Divulgação

Em entrevista nesta manhã (16/7) ao jornal O Popular, o pré-candidato ao governo de Goiás, Ronaldo Caiado afirmou que o combate à corrupção será sua prioridade, caso chegue ao Palácio das Esmeraldas. Caiado disse que ao estancar o desvio do dinheiro público que hoje assola Goiás será possível promover as mudanças que o estado precisa e investir nos pilares que são saúde, educação e segurança pública. Na entrevista, o senador falou ainda sobre a importância da participação das mulheres na política, de ações para o combate à violência contra a mulher que tem índices alarmantes em Goiás e a respeito da escolha de Lincoln Tejota como pré-candidato a vice-governador privilegiando a inclusão da juventude na composição da chapa. Ronaldo Caiado ainda comentou as ações de retaliação do governo atual a lideranças, prefeitos que declararam apoio à sua pré-candidatura. “No meu governo, se lá chegar, haverá espaço para o contraditório, para o debate. Essa era de retaliações vai acabar”, pontuou.

“Minha prioridade se chegar ao governo será o combate à corrupção. Esse é o diagnóstico maior. O combate para não deixar que seja desviado nenhum centavo do dinheiro do povo que vem em forma de imposto. Não é normal caminhar para outros caminhos dos desvios, dos escândalos, do acordo debaixo do tapete. O que precisamos é de independência moral para implantar as mudanças que o estado precisa. Sou um homem que tenho que prestar contas ao goiano. Toda população espera e eu saberei responder que é o combate à corrupção. Como médico não adianta só tratar a dor de cabeça quando a causa é uma questão mais grave. Segundo, será priorizar os pilares, saúde, educação, segurança, programas sociais para resgatar as pessoas mais humildades”, destacou.

Ronaldo Caiado acredita que Goiás vai dar exemplo como estado capaz de fazer grandes transformações saindo de um cenário em que o foco é um projeto de poder para uma gestão com um projeto voltada a sociedade goiana. “Goiás, você sabe, sempre esteve a frente em grandes momentos da política. E vai estar neste momento, vamos poder mostrar que se pode fazer a boas mudanças na estrutura no estado sem um projeto de poder, com um projeto em benefício da sociedade. Essa condição precisa ter alguém com independência para colocar em prática essas mudanças, um governante que não esteja encabrestado, sem amarras, que use o dinheiro público voltado para sociedade”.

Caiado também falou sobre os lamentáveis casos de retaliações promovidos pelo governo atual a lideranças que declaram apoio à sua pré-candidatura, inclusive a prefeitos aliados de Lincoln Tejota anunciado na última semana como pré-candidato a vice na sua chapa. “Bastou iniciar um processo mais ativo na nossa pré-campanha, participar de uma cavalgada que demitiram um rapaz em Trindade que fazia parte de uma comitiva de muladeiros. Depois, o Valdivino (Chaves, ex-prefeito) fez um almoço na casa dele e a filha dele foi demitida (da prefeitura de Trindade). Dois jornalistas de Formosa que comentaram sobre nosso plano de governo também foram demitidos. Com a vinda do Lincoln vários outros foram demitidos. Vou mostrar nossa independência e que a era de violência, de agressão vai desaparecer. Não vou impor de maneira alguma que a nossa sigla seja a única. Vou conviver com a pluralidade dos partidos, com as divergências. No meu governo, se lá chegar, quem tiver qualificação e tiver as condições de gerir de um órgão terá meu apoio”, disse o senador que lembrou que suas lutas sempre foram as voltadas aos interesses do povo goiano, nunca para impor um projeto pessoal de poder e enfatizou a aprovação de emenda de sua autoria para garantir 25% dos royalties do petróleo para saúde e educação, a aprovação da convalidação do incentivos fiscais para Goiás e outros estados e sua defesa para evitar o monopólio da licitação de trechos da ferrovia Norte-Sul.

O pré-candidato denunciou a atitude do governo do estado ao usar o Palácio das Esmeraldas como comitê eleitoral e dar continuidade ao processo de retaliações a quem o apoia. “Nenhuma candidatura está definida na data de hoje. Recebo com muita humildade todos os resultados de pesquisas. Vejam a intensidade que estamos caminhando nos estados. Sei o que é enfrentar uma máquina de governo, da dificuldade de um prefeito declarar apoio a mim. O cidadão chega a ficar impedido de receber recursos porque declarou apoio a Ronaldo Caiado. O atual governo usa o Palácio das Esmeraldas, isso é crime eleitoral, para buscar todos os candidatos que apoiam o Lincoln e dizer que não terá mais repasse de recursos. O palácio a serviço de comitê eleitoral para o pré-candidato do governo. Essa é a política  que precisamos mostrar que temos que mudar.  Eu sou uma pessoa otimista, tenho fé. Sou um cirurgião da coluna, recebo um paciente fraturado que não acredita que pode volta a vida normal, o opero e ele recupera a autoestima”, atesta.

Ronaldo Caiado reforçou que como compromisso reduzir os altos índices de feminicídios em Goiás, os maiores do país, assim como trazer mais a mulheres e os jovens para a política. “Fui eu quem mostrei que Goiás tem o maior índice de feminicídio do país. Eu atuei no Senado para que fosse aprovada uma lei para que dar as elas medidas protetivas, não apenas aguardando a decisão do juiz, ou do delegado; o policial militar pode garantir essa medida para que a mulher não seja ameaçada, não seja assassinada. Espero ver as mulheres crescendo dentro da política. Estou também dando uma oportunidade aos jovens colocando um numa vice-governadoria. Queremos que Goiás tenha um menor percentual de (votos) brancos, nulos, abstenções.  Não podemos medir todos pela mesma régua, há políticos de bem que podem ter o apoio da população e espero que a mulher possa mostrar seu trabalho na cultura, infraestrutra, saúde, economia e vários setores que já se colocaram como referência nacional”, enfatizou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here