“Pacto Integrador reduz índices de criminalidade”, diz José Eliton ao discutir desafio nacional da Segurança

0
681
Foto: Andre Saddi

Governador de Goiás foi idealizador do Pacto Integrador de Segurança Pública Interestadual (Pispi), em 2016, enquanto secretário de Segurança Pública de Goiás

Com o objetivo de ampliar a discussão do desafio nacional da Segurança Pública no Brasil, a capital goiana foi palco da 1ª Reunião Regional Centro-Oeste do Pacto Integrador de Segurança Pública Interestadual (Pispi), realizada na Fundação Tiradentes, na tarde desta segunda-feira, 16.

Na oportunidade, o governador José Eliton, criador do projeto, em 2016, quando foi secretário de Segurança Pública de Goiás, destacou a importância da efetivação do pacto e os frutos que já estão sendo colhidos, não só em Goiás, como em diversos outros estados brasileiros.

“Os desafios na área de Segurança Pública no Brasil são gigantescos. Nesse sentido, o Pacto Integrador de Segurança Pública nasceu justamente de um vazio existente na Federação Brasileira, no que diz respeito à definição de políticas públicas e na coordenação de ações integradas de diversos entes federados, em relação à Segurança Pública”, disse.

De acordo com José Eliton, antes do Pacto, havia uma espécie de ‘esquizofrenia federativa’, no qual os estados, responsáveis pela política de Segurança Pública, não dialogavam entre si e não estabeleciam uma agenda operacional conjunta. “Evidentemente, a consequência disso é um estado federado, onde as unidades atuavam isoladamente, com um campo de visão absolutamente restrito, em relação às áreas de inteligência, informação e processamento de dado. Como resultado final, tínhamos uma dificuldade maior no enfrentamento ao crime organizado”, falou.

Para o governador, a criação do Pacto Integrador, composto atualmente por 21 estados, mudou e continua melhorando o cenário da Segurança Pública no País. “Depois da criação do Pacto, podemos observar recordes em cima de recordes, tanto em relação à apreensão de entorpecentes, quanto à diminuição de indicadores de violência, além de ações vitoriosas de combate a roubo e furtos de cargas”, comemorou José Eliton.

“O Pispi permite que os estados parceiros compartilhem informações e ferramentas tecnológicas utilizadas pelos serviços de inteligência, para atuação em cooperação das forças policiais além das divisas estaduais, para o efetivo combate ao crime organizado”, sublinhou o governador José Eliton ao explicar que integram o foco do programa, o tráfico de drogas e de armas, roubo de veículos e de cargas e assaltos a instituições financeiras.

O secretário de Segurança Pública de São Paulo e presidente do Pacto Integrador de Segurança Pública Interestadual, Mágino Alvez, presente na reunião que contou com outros oito secretários estaduais, também fez menção aos resultados positivos do projeto. “A iniciativa que nasceu da parceria entre sete entes federados veio substituir a falta de uma política nacional de Segurança Pública, que hoje começa a engatinhar graças ao nosso Pacto”, afirmou.

“O Pispi se tornou uma realidade concreta, algo que está fazendo diferença para a Segurança Pública dos estados participantes. Ele produz e continuará produzindo efeitos positivos na manutenção das ações de Segurança Pública no Brasil. Estamos começando a assistir a formulação de um plano nacional de Segurança Pública”, falou Mágino.

Para o secretário de Segurança Pública de Goiás, Irapuan Costa Jr, o Pacto Integrador proporcionará cada vez mais o debate sobre Segurança com o Governo Federal. “Desejo a essa iniciativa não só um futuro próspero, como também realizador. Que o Pacto Integrador possa ser cada vez mais efetivo no combate ao crime organizado”, finalizou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here