Kátia critica concessão de rodovias estaduais

0
997
Foto: Divulgação

Kátia Maria mostrou preocupação com as estradas goianas em suas redes sociais, nesta segunda-feira. A pré-candidata ao Governo de Goiás pelo Partido dos Trabalhadores tem utilizado as redes sociais para debater suas propostas com a sociedade. Na Live desta terça,  criticou o modelo de concessão das rodovias estaduais, lançado em edital no início do mês e com previsão para abrir dia 2 de agosto. Kátia começou destacando a importância de investir em infraestrutura. “ Estradas de boa qualidade garantem o direito de ir e vir de todo cidadão, promovem o escoamento da produção e fomentam a economia regional. A infraestrutura é elementar para o desenvolvimento socioeconômico”, afirmou Kátia Maria.

A governadoriável destacou que seu modelo de gestão propõe um desenvolvimento integrado, com descentralização dos serviços. Para isso, o investimento em infraestrutura é importantíssimo. “Nós queremos trazer um modelo de estradas que possa garantir a segurança e a qualidade de vida da população. Possa garantir que as pessoas transitem com segurança, qualidade e eficiência. Mas temos que pensar na nossa cadeia produtiva também, as rodovias devem ter qualidade da massa asfáltica, sinalização adequada e acostamento”, explicou Kátia Maria.

Luis César Bueno

O deputado estadual e pré-candidato ao Senado Federal, Luis César Bueno, participou do vídeo de Katia Maria e trouxe a sua experiência no debate do projeto de implantação de pedágios quando este passou pela Assembleia Legislativa. O deputado lembrou que a recuperação das rodovias estaduais ocorreu com recursos federais (cerca de 3,5 bilhões) liberados por Dilma Rousseff, em 2012. Também, foi criado no um Fundo do Transporte, que fica com 50% de todas as taxas arrecadadas pelo Detran, além de parte do IPVA e do ICMS que incide sobre a gasolina. A alíquota do ICMS sobre a gasolina na época era de 17%, agora chegou a 30%.

Luis Cesar explicou que após a recuperação das rodovias goianas com o dinheiro público, o Governo tucano quer passar as rodovias para a iniciativa privada sem nenhuma contrapartida. “Pegar uma rodovia totalmente pronta, sem ter nenhum compromisso de investimento, apenas tendo o compromisso de tapar os buracos é muito pouco, isso o próprio recurso do IPVA é suficiente”, contou Luis César.

Na Assembleia, o deputado questionou a falta de contrapartida de investimento das empresas que vencerem a licitação e, juntamente a outros deputados, propôs uma emenda. “Do jeito que está as empresas apenas terão a obrigação de cobrar pedágio e caro, com a obrigação apenas só de tapar os buracos. Um grupo de deputados fez uma emenda exigindo que o concessionário que vencesse a licitação desse prosseguimento ao processo de duplicação das rodovias, mas foi vetado”, disse Luis César.

População

O modelo de concessão das rodovias estaduais difere da forma implantada em rodovias federais, os valores são mais altos e a distância entre as praças de pedágio são menores. Enquanto nas rodovias federais a distância é de cerca de 115 quilômetros, nas estaduais só chega a 50 quilômetros. A pré-candidata, Kátia Maria, acredita que este modelo pode onerar a população. De acordo com as regras, quem sair de Goiânia para Catalão, por exemplo, vai passar por 4 praças de pedágio e pode pagar por volta de 20 reais de pedágio. “É uma lei injusta, ela onera a população, vai trazer desemprego e enfraquecer os municípios da região metropolitana, como Nerópolis, Inhumas, Bela Vista, entre outras”, explicou Kátia.

Kátia Maria contou que visitou municípios do oeste goiano, onde serão implantadas as praças de pedágio, e a população está assustada com os valores. A pré-candidata ressaltou que seu governo deve rever a lei de concessão das rodovias estaduais. “Temos que pensar um modelo que garanta a qualidade e infraestrututra. Nós vamos rever essa lei, ela não cabe dentro do nosso projeto, é uma lei que penaliza o povo mais simples, humilde e trabalhador”, falou Kátia Maria

Pavimentação

O vídeo de Kátia Maria contou com a participação de internautas de toda parte do Estado, muitos reclamaram da situação das rodovias nas suas regiões. Um internauta cobrou a pavimentação da GO 156, que liga Uirapuru a Mundo Novo, que segundo ele “nunca saiu do papel”. Kátia explicou que sua equipe está trabalhando para apresentar propostas para essas demandas. “Nós temos um mapa avançado de onde estão as demandas de pavimentação asfáltica de rodovias, vamos tirar algumas cidades do isolamento e promover o desenvolvimento dessas regiões, falou Kátia.

O deputado Luis Cesar Bueno ainda citou outras rodovias que necessitam de pavimentação. “Quero citar o exemplo da estrada de Baliza até Doverlândia (oeste goiano), outra estrada importante para ser concluída e de Trombas até Porangatu. Nós temos um quantitativo muito grande de rodovias que precisam ser pavimentadas. A região da divisa de Goiás com a Bahia, que é um importante celeiro agrícola, está paralisada por falta de asfalto ligando as regiões”, falou Luís César.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here