De volta ao coração de Goiás

0
696
Foto: Wagner Araujo

Daniela Martins

Vila boa torna a ser, simbolicamente, o centro das decisões políticas do estado por um dia

Patrimônio Cultural da Humanidade, berço da poetisa Cora Coralina, museu a céu aberto, primeira capital do Estado de Goiás. Os adjetivos e significados da querida Vila Boa de Goiás são muitos. Fundada no ciclo do ouro, no Brasil colonial, e originalmente chamada de Arraial Sant´Ana, a cidade erguida entre o Vale da Serra Dourada e o Rio Vermelho fez história como o centro das decisões políticas no meio do País.

E foi assim até os idos da década de 1930, quando a ideia de construir uma nova capital experimentou mais força. Foram escolhidos os arredores da cidade de Campinas, que mais tarde se tornaria um bairro e seria incorporada a Goiânia, a tal Capital planejada.

Os tempos mudaram, Vila Boa ganhou ares de interior, mas o respeito às raízes continua. Todo ano, tradicional e simbolicamente, a cidade de Goiás volta a se transformar na sede dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário goianos. Sempre na semana do aniversário de sua fundação, 26 de julho. Em 2018, a transferência foi antecipada. Será dia 25, próxima quarta-feira. Um feriado estadual.

As comemorações da transferência da Capital começam na terça, 24, à noite, com a entrega da Comenda da Ordem do Mérito Anhanguera, às 18 horas, na Praça do Chafariz.

Criada em 1975, a condecoração é uma homenagem às pessoas que prestam relevantes serviços à sociedade. A cada ano, centenas de personalidades goianas, nacionais e até internacionais recebem a Comenda.

A primeira noite de festa termina com shows do Trio Parada Dura e de cantores goianos, em comemoração aos 291 anos da cidade de Goiás, na Praça de Eventos. Na manhã seguinte, a celebração continua com culto ecumênico e uma visita ao Mercado Municipal. Ao final da tarde, novas homenagens, com a entrega da Comenda da Ordem do Mérito Cora Coralina às prefeitas goianas, no Quintal do Museu da Casa de Cora Coralina, a partir das 17h30.

Patrimônio Mundial e Cultural

Foto: Nabil Bonduk

A cidade de Goiás é testemunha da ocupação e da colonização do Brasil Central nos séculos XVIII e XIX. As origens da cidade estão intimamente ligadas à história das bandeiras que partiram principalmente de São Paulo para explorar o interior do território brasileiro. O conjunto arquitetônico, paisagístico e urbanístico do centro histórico de Goiás foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 1978. O reconhecimento como Patrimônio Mundial veio em 16 de dezembro de 2001, quando a cidade foi considerada pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) como Patrimônio Cultural da Humanidade. (Fonte: Iphan)

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here