‘Goiás é vanguarda na educação’

0
749

Manoel Messias Rodrigues

Flávio Peixoto assume a educação buscando Aliar gestão e política na maior secretaria do estado

Em cerimônia realizada no pátio interno do Conselho Estadual de Educação de Goiás, no Centro de Goiânia, o economista Flávio Peixoto foi empossado na tarde de quarta-feira, 11/7, secretário estadual de Educação, Cultura e Esporte. O nome do novo titular da pasta havia sido anunciado pelo governador José Eliton na terça-feira. Ele substitui Marcos das Neves, que pediu afastamento por motivos de saúde.

Durante discurso de posse, emocionado e com voz embargada, Flávio Peixoto disse que a escolha do local para realização da cerimônia foi duplamente simbólica.

“Esse prédio agasalha o Conselho de Educação e também já agasalhou os meus primeiros anos de escola, sou fruto de escola pública”, comentou ao informar que foi alfabetizado no então Grupo Escolar Modelo, unidade que funcionava no prédio.

O novo titular da Seduce celebrou o fato de a Educação goiana estar “na vanguarda do Brasil”, e lembrou o trabalho dos ex-secretários Raquel Teixeira, Eliana França e Thiago Peixoto, este que é seu filho. Segundo ele, Goiás estar à frente na Educação implica dizer que terá muitos desafi os pela frente.

“Educação é um processo contínuo. Nesses anos todos que a Educação foi tão bem conduzida em Goiás, o avanço só foi possível graças aos professores e gestores. Sem eles não existe Educação”, comentou ao falar sobre sua nova missão, que é intensifi car os trabalhos para além do quadro negro. “Convido vocês a romper as barreiras da sala de aula”, conclamou a plateia, composta, além de políticos, por gestores e professores da rede estadual de educação.

Representando o governador José Eliton, o secretário de Gestão e Planejamento, Joaquim Mesquita, desejou boa sorte ao novo titular da Seduce e lembrou que há alguns anos as duas secretarias trabalham juntas em prol do avanço do ensino público em Goiás.

“Temos números que apontam indicadores positivos notáveis. Mas acho que ainda há espaço, por exemplo, para que possamos engajar e reduzir percentual de jovens que abandonam a escola”, afi rmou, lembrando que pesquisa realizada no sistema prisional de Goiás mostra que nenhum dos presos tinha concluído o ensino médio no tempo indicado.

Já o ex-secretário Marcos das Neves citou algumas ações lançadas nos últimos anos, como a Avaliação Dirigida Amostral (Ada) e o caderno de atividades Aprender +.

“Quero repetir o que tenho dito nos últimos três anos. Não existe curto e médio prazo na Educação. Educação é longo prazo. O que está sendo feito hoje é consequência do que se fez ontem, e assim sucessivamente”, afi rmou ao desejar sucesso na trajetória de Flávio Peixoto. Marcos também lembrou que Goiás está no topo do ranking nacional e que “tudo indica que será primeiro lugar no Ideb, em dose dupla esse ano, nos ensinos Fundamental e Médio”.

“O novo secretário tem um time afi ado, afi nado, e que sabe o que fazer e que, somada à capacidade dele, eu acredito que a educação em Goiás continuará crescendo”, comentou.

Anfitrião, o presidente do Conselho Estadual de Educação de Goiás, Marcos Elias, realizou um breve resgate histórico sobre a evolução da Educação no país que, segundo ele, no passado não foi vista como prioridade.

“Acreditamos que o trabalho a ser desenvolvido pelo senhor, secretário, é essencial ao nosso povo. A Educação, e aí peço desculpas ao Esporte e à Cultura, é uma das maiores responsabilidades que a sociedade brasileira tem com nosso futuro”, refletiu. Elogiou o fato de ter sido escolhido alguém que tem vínculos com a gestão e com a educação.

“Ele une a trajetória na área técnica de Governo a essa experiência na área de educação. Me parece que o importante agora é discutir a necessidade de continuidade de diversos programas que estavam dando resultados positivos e, se for o caso, ele pensar outros programas e ações que possam dar resultados positivos. O que acho fundamental é não quebrar aquilo que vem dando certo para a gente ter uma educação de qualidade no nosso estado”, disse à reportagem da Tribuna do Planalto.

Além de servidores da Educação, a solenidade de posse de Flávio Peixoto contou com a presença e diversas autoridades, entre elas deputados e secretários de Estado.

ENTREVISTA

“A educação é a mais importante de todas as atividades do governo”

Natural de Jaraguá e de família de políticos, Flávio Rios Peixoto da Silveira, de 73 anos, é economista e já foi professor de planejamento da Faculdade de Economia da Universidade Federal de Goiás e chefe do antigo Instituto de Ciências Humanas e Letras, também da UFG. Foi secretário estadual de Planejamento por duas vezes e secretário de Governo. Em 2012 e 2013, foi secretário de Relações Institucionais e do Planejamento e da Modernização da Gestão Pública do Governo do Tocantins. Também já foi ministro do Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente (1985/86). Antes da solenidade de transmissão de cargo, ele falou com a reportagem da Tribuna do Planalto.

Tribuna do Planalto – O senhor assume para dar continuidade ao trabalho que vinha sendo feito, traz ideias novas?

Flávio Peixoto – Olha, Goiás hoje está na vanguarda da educação. Não há como alterar uma rota que é de sucesso. Há 20 anos Goiás está crescendo na educação e eu pretende cortar onde já está riscado. O processo de gestão da educação é contínuo. A cada ação da educação, se tem um pedaço do amanhã, o tempo que vou passar são poucos meses, mas dá para semear alguma coisa, algumas ideias, porque eu venho dessa área, fui professor da universidade, diretor do Instituto de Ciências Humanas, então é uma área que tenho um carinho muito especial, porque eu acredito que é o vetor do desenvolvimento socioeconômico, mas eu acredito verdadeiramente que a educação é a mais importante de todas as atividades do governo. Mas eu venho é dar continuidade a um trabalho fantástico, porque em qualquer índice Goiás está hoje entre os primeiros colocados no país. Isso só nos deixa orgulhoso de ocupar uma pasta tão bem conduzida pelos vários secretários que aqui passaram?

Tem como dar prioridades a algumas ações neste semestre?

O programa que o governador recentemente lançou, o Goiás Mais Educação, talvez vamos dar mais atenção, mas se trabalha educação é de forma global, completa. Não adianta avançar num setor e deixar outro, o avanço tem que ser contínuo. E a gente conta com ótimos professores, excelentes profi ssionais e vamos dar continuidade, naturalmente se for preciso fazendo alguns ajustes, porque se uma coisa que tenho prioridade é a transparência, vocês vão ver que eu vivo na verdade e isso é muito importante pra mim e pra imprensa também, pra vocês todos. Vocês vão ter um secretário de facílimo acesso.

É possível planejar ações mesmo com esse tempo curto?

Eu acho que está tudo muito bem planejado, mas a gente não pode esquecer que a educação se faz no dia de hoje, se constrói a educação de amanhã, hoje. Repito: graças ao ex-governador Marconi Perillo e ao governador José Eliton, a educação de Goiás é vanguarda do Brasil, é hoje a melhor do Brasil. Não somos o estado mais rico, mas temos a melhor educação.

O Sr. chega com espírito mais de político ou de gestor?

Eu sempre fui mais gestor do que político. É uma mescla, mas eu sei muito bem o que pode ser feito, o que não atrapalha a política pública com a política eleitoral. Isso eu aprendi bem na minha vida, eu sei distinguir isso claramente.

O Sr. é pai de um ex-secretário, Thiago Peixoto, cuja passagem pela mesma secretaria de Educação deixou certas ressalvas com servidores, professores. Como lidar com isso?

Não cabe desconhecer alguns atritos, mas todo processo gera harmonia e conflitos, o que é natural, é o caminhar. Naturalmente, eu vou tentar fazer um trabalho harmônico, porque eu preciso dos funcionários, eu preciso dos professores. Eles é que dão vida à secretaria, eu sou acessório nesse processo. E essa vai ser minha atitude, de máximo respeito, um companheiro na tarefa que é gigantesca, que é a tarefa da educação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here