Dia da mulher negra, latino-americana e caribenha

0
1469
Foto: Internet

Defesa da vida da mulher negra marca data histórica nesta quarta, 25

Em celebração ao Dia Internacional da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha e Dia Nacional Tereza Benguela , será realizado hoje quarta-feira (25 de julho) um ato em defesa da vida da mulher negra em Goiânia.

O principal foco do evento será a luta contra a violência sofrida pela mulher negra no Brasil, que aumenta a cada ano. Entre 2005 e 2015, o aumento da violência contra mulheres negras foi de 22%, conforme dados do Atlas da Violência 2017, divulgado em 5 de junho de 2018. Também estará em pauta o combate ao racismo

Mais uma vez, as ruas da cidade será palco da  luta contra opressão de gênero e de raça em relação às mulheres negras.

O ato público será iniciado às 17, na praça da Vila Cultural Cora Coralina, localizada atrás do Teatro Goiânia, no Centro. O evento é promovido pela Rede Goiana de Mulheres Negra.

Estão previstas  apresentações culturais das artistas Cláudia Lucia, Jéssika Gomes, Isabella Bruno, Luz Negra, Renata, além de Janaína Soldera, Camila Ribeiro e Juliana Jardel.

História

O 1º Encontro de Mulheres Afro-Latino-Americanas e Afro-Caribenhas foi realizado em 25 de julho de 1992, em Santo Domingo, na República Dominicana, ocasião em que foi fixado o Dia Internacional da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha, como marco mundial da luta e da resistência da mulher negra.

A data também celebra o Dia Nacional de Tereza de Benguela e da Mulher Negra, instituída pela Lei nº 12.987/2014. Tereza de Benguela, representante de todas as mulheres negras, nasceu no século XVIII e chegou a chefiar o Quilombo do Piolho, também chamado de Quariterê, nos arredores de Vila Bela da Santíssima Trindade, em Mato Grosso.

Sob o comando de Tereza, houve o crescimento de uma comunidade sustentável, de forma militar e econômica, que acabou incomodando o governo escravista. A comunidade foi atacada pelas autoridades da época e Benguela foi presa. Por se recusar a viver sob o regime de escravidão, Tereza preferiu a morte e se suicidou.

Serviço:
Ato público – Dia Internacional da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha
Data: 25/07/2018
Horário: 17h
Local: Praça da Vila Cultural Cora Coralina, Centro – Goiânia, Goiás.

Foto: Divulgação

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here