Ronaldo Caiado defende transparência e modernas práticas de governança em reunião na Fecomércio

0
261
Foto: Divulgação

O senador Ronaldo Caiado (Democratas), candidato ao governo pela coligação A mudança é agora (DEM/PROS/DC/PDT/PMB/PMN/PODE/PRP/PRTB/PSC/PSL/PTC), enfatizou a importância da cultura da transparência e da implantação de modernas práticas de governança pública em Goiás, durante almoço promovido nesta sexta-feira (10/8) pela Federação do Comércio do Estado de Goiás (Fecomércio), em Goiânia.

Ao discursar à plateia de empresários, Ronaldo Caiado já fez de pronto compromisso para a implantação do compilance público, um conjunto de normas que visa o combate à corrupção e outras irregularidades na gestão estadual e lembrou ainda que a Lei Anticorrupção, aprovada antes do estouro da Operação Lava Jato, exige transparência das empresas que possuem contratos com o poder público e a publicização das medidas de combate à corrupção.

“Precisamos garantir a transparência e a governança da máquina pública para que os recursos que entrarem no governo sejam bem administrados, de modo que toda a população tenha certeza de como cada centavo será utilizado. Este é um ponto que não vamos abrir mão, Ser transparente é algo imprescindível para um bom governante e o estado não é propriedade dele, mas de todos os goianos. Quem está no poder é um funcionário público”, enfatizou.

Ronaldo Caiado ainda criticou a manutenção no poder, nos últimos 20 anos, do grupo político ligado ao ex-governador Marconi Perillo (PSDB), impedindo o florescimento de novas lideranças e a renovação do governo do estado.

“Nada mais oxigena uma gestão do que a alternância do poder e a democracia só existe quando temos esta oportunidade de ouvir e de ver implantada novas técnicas, novos métodos, e cada um avaliando e tentando superar o anterior. Acho que esse é o grande desafio de vida de todos nós, que estamos na vida pública”, avaliou.

Líder do Democratas no Senado Federal, Ronaldo Caiado também acusou a gestão tucana de permitir o sucateamento generalizado a estrutura administrativa para a serviço de um projeto político. Com isso, é preocupante a situação econômica e estrutural que será deixada.

“Eles acabaram com a Celg, sucatearam a Saneago e deixaram mais de 400 obras paradas em todo o estado. Isso é algo inadmissível e eu não permitirei que essa prática continue se for eleito governador. Só vou autorizar as obras que puderem ser realizadas e terei respeito pelos goianos, que não merecem um estado perdulário e a serviço de um pequeno grupo privilegiado”, frisou.

O cuidado com as finanças do estado também foi reiterado por Ronaldo Caiado. “Vou respeitar a situação fiscal do estado, saibam disso, e buscarei a governabilidade dentro de critérios técnicos e defensáveis”, analisou.

Dificuldades

Anfitrião do encontro, Marcelo Baiocchi evidenciou as principais dificuldades enfrentadas pelo empresariado, que sofre com a burocracia da gestão estadual e a falta de clareza da legislação, permitindo interpretações equivocadas isoladas.

“É difícil abrir uma nova empresa e a burocracia estabelecida pelo ritmo dos carimbos, colocada nas mãos de servidores que interpretam a lei de acordo com seu entendimento, impede a criação de um ambiente de empreendedorismo e é isso que precisamos. Às vezes, a interpretação de um servidor pode colocar todo um processo a perder”, asseverou.

Baiocchi também sublinhou o anseio dos empresários para que o Congresso Nacional renove as legislações passíveis de questionamentos, como a tributária e a ambiental. “Essas leis hoje prejudicam o empresariado e deixam o ambiente confuso e queremos que os congressistas tenham sensibilidade para que parlamentares como

Também estiveram na sabatina a deputada federal Flávia Morais (PDT), o presidente do Instituto de Previdência dos Servidores Municipais de Goiânia Silvio Fernandes e o presidente licenciado da Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás, José Mario Scheiner, candidato a deputado federal pelo Democratas.

Apoios

Pela manhã, em seu escritório parlamentar, Ronaldo Caiado recebeu lideranças das cidades de Água Limpa, Arenópolis, Lagoa Santa e Itajá, ambas no Sul Goiano, entre vereadores, presidentes de partido, prefeitos e vices-prefeitos. Em todas elas a reclamação comum é a falta de geração de empregos, o que estaria provocando a migração de jovens e adultos ao exterior, em busca de oportunidades.

“Estamos pedindo ao Ronaldo Caiado que nos ajude a dar um fim a isso. Só em Arenópolis, mais de trezentas pessoas estão no exterior, entre Irlanda e Estados Unidos. Inclusive meu próprio filho está de malas prontas para morar fora por não encontrar serviço”, lamentou o vereador da cidade Devailton Gonçalves (PTB).

Os prefeitos de Itajá, Renis Oliveira (PSDB) e de Lagoa Santa, Adivair Macedo (PSD) também aderiram à campanha de Ronaldo Caiado. Oliveira, por exemplo, anunciou que vai deixar o ninho tucano para marchar com Caiado. “A figura política de Ronaldo Caiado diz por si e eu estou com ele para dar ao nosso estado um novo ânimo e para que ele possa ter atenção especial às nossas demandas”, destacou.

Macedo expressou sua indignação com o tratamento do governo do estado para com os municípios pequenos. “Eles liberaram verbas do Goiás na Frente, mas insuficientes para a conclusão das obras. Tenho admiração pelo senador Ronaldo Caiado e tenho certeza que, eleito governador, ele nos ajudará a melhorar as nossas cidades”, completou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here