Saneago apresenta plano de racionamento

0
439
Foto: Divulgação

A Saneago apresentou nesta terça-feira (21/08), durante entrevista coletiva para a imprensa, o Plano de Racionamento de Água na Região Metropolitana de Goiânia determinado pela Agência Goiana de Regulação, Controle e Fiscalização de Serviços Públicos (AGR). Embora ele preveja a possibilidade de rodízio de abastecimento de bairros atendidos pelo Sistema do Rio Meia Ponte, o presidente da empresa, Marcelo Mesquita, afirmou considerar baixa a possibilidade de que isso venha a acontecer este ano. “A situação hoje dos reservatórios da Saneago é de abastecimento”, garantiu.

Segundo Mesquita, ficou acordado com a AGR que não será determinada uma data para a adoção da medida do rodízio de bairros para o abastecimento de água. Isso só irá ocorrer quando a vazão do Rio Meia Ponte, no ponto de captação da Saneago, no município de Goiânia, ficar abaixo de 1.500 litros por segundo. A medida mais recente do manacial, realizada nesta segunda-feira (20/08), apontou vazão de 4.742 litros por segundo, portanto bem acima do limite mínimo fixado.

O Sistema Integrado de Abastecimento de Água da Região Metropolitana de Goiânia é composto pelos Sistemas Meia Ponte, que atende 660 mil habitantes; e João Leite, responsável por 508 mil habitantes de Goiânia, Aparecida de Goiânia, Goianira e Trindade, conforme informou o presidente da empresa de saneamento. “Acredito que a chance de adotarmos o rodízio em agosto, setembro ou outubro próximo é muito baixa. Mas se houver, vai afetar apenas os bairros abastecidos pela água do Meia Ponte, sendo que aqueles atendidos pelo Sistema do João Leite não serão atingidos”, esclareceu.

Ações

O Plano de Racionamento elaborado pela Saneago, a pedido da AGR, reúne um conjunto de ações que visam mitigar os impactos da redução da vazão do Meia Ponte, caso essa redução comprometa o abastecimento público. Estão previstos três tipos de ações: estruturais, operacionais, e de comunicação e marketing.

A principal ação estrutural é a construção da adutora de 12 quilômetros de extensão que vai integrar os Sistemas João Leite e Meia Ponte, ligando as Estações Mauro Borges e Meia Ponte. A obra está 85% concluída com previsão de término no final deste mês e entrada em operação dia 10 de setembro próximo. A adutora vai garantir um aporte extra de 800 litros por segundo. “Após concluirmos a obra precisaremos de um prazo para testes, ajustes e desinfecção do duto por onde passará a água”, explicou Mesquita.

Também estão previstas execuções de melhorias e interligações em adutoras e redes, com o objetivo de potencializar a distribuição. O presidente da Saneago anunciou a instalação de uma Sala de Situação na sede da empresa, para monitoramento em tempo real da vazão do Meia Ponte e dos cenários de captação de água bruta e distribuição de água tratada.

A empresa atuará ainda no controle e monitoramento de perdas, por meio de instalação de válvulas redutoras de pressão (VRPs), substituição de hidrômetros, combate a irregularidades e priorização na eliminação de vazamentos. Outra ação operacional é o monitoramento automatizado de 100% dos Centros de Reservação de Água Tratada, através do Sistema Supervisório.

Marcelo Mesquita informou que o Plano de Racionamento prevê a garantia de atendimento a usuários essenciais, que são creches, escolas, unidades de saúde e presídios, entre outros. Nesse sentido, foi elaborado um plano de utilização de caminhões pipa, próprios e locados, caso haja necessidade.

Nas ações de comunicação a Saneago está vinculando a campanha Economizar água é muito simples em emissoras de rádio e TV, internet e mídias sociais, com mensagens de conscientização para o uso racional da água por parte da população. Também haverá comunicação nas faturas dos clientes e afixação de cartazes em locais públicos.

“Vale lembrar que a população já está contribuindo. A Saneago verificou quedas no consumo de água de 7,8% em junho, e de 7,4% em julho, na comparação com os mesmos meses do ano passado”, informou. Para garantir a transparência e a celeridade nas informações, a empresa passará a publicar em seu site na Internet, três vezes por semana (na segunda, quarta e sexta-feira), a vazão no Rio Meia Ponte, no ponto da captação para abastecimento público. E caso a vazão do manancial neste local fique menor que 1.500 litros por segundo, também será divulgada com antecedência a lista atualizada dos bairros que poderão ser afetados pelo rodízio.

Com todas as medidas planejadas pela Saneago, associadas ao trabalho de fiscalização realizado pela Secima, Batalhão Ambiental e Delegacia do Meio Ambiente (Dema), o presidente da empresa disse acreditar que a expectativa é de que a Região Metropolitana de Goiânia poderá passar pelo período de estiagem sem prejudicar o abastecimento público. “Mas a recuperação da Bacia do Meia Ponte é essencial para que, em conjunto com o Sistema Meia Ponte, tenhamos a segurança hídrica necessária para atender às necessidade da população”, salientou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here