Uma escola como a casa da gente

0
1843

Maria José Rodrigues

Projeto paisagístico muda visual de escola pública, tornando o ambiente mais humano e agradável. Ação faz parte de aulas práticas de ciências

Os olhos tão acostumados à beleza do verde não demoraram muito a perceber a supremacia do concreto no hall de entrada do Cepi (Centro de Ensino em Período Integral) Andrelino Rodrigues de Morais. O cenário cinza imprimia um aspecto pálido e nada aconchegante a um dos principais ambientes da escola.

Depois de avaliar as muitas possibilidades paisagísticas, o professor de Ciências Edson Abrão decidiu pela implantação de um jardim vertical formado por samambaias. Para criar a composição, ele recorreu à reciclagem: reuniu diversos caixotes de madeira – desses facilmente encontrados como descarte pelas ruas da cidade –, lixou, pintou e envernizou cada peça com a ajuda de seus alunos.

Os estudantes participaram ativamente de todo o projeto

“Como tenho curso técnico em Paisagismo, minha ideia foi trazer um pouco mais de verde para dentro do colégio e mostrar para os estudantes a importância de termos uma relação harmônica com o meio ambiente”, explica.

Edson conta que nas aulas de Ciências procura trabalhar conceitos de Botânica aliados às práticas de sustentabilidade.

“São conhecimentos que contribuem para uma sociedade melhor, geram mais qualidade de vida e até poderão influenciá-los, inclusive, na escolha profissional. Quem sabe daqui um tempo não teremos entre eles futuros profissionais das áreas de paisagismo e jardinagem?”.

Na confecção do jardim vertical, o professor afirma que fez questão de envolver os alunos em todas as etapas do processo com a clara intenção de estimular a interação e o protagonismo entre eles. À frente da eletiva Pomar e Horta, uma das disciplinas opcionais do Núcleo Diversificado, ele comenta que ficou impressionado com a receptividade dos jovens durante a execução do projeto.

Inspirado pela empolgação dos estudantes, Edson já planeja realizar outras ações ambientais ainda esse semestre. Com a ajuda dos alunos, pretende criar uma horta escolar e ampliar o pomar com novas espécies frutíferas.

Professor Edson Abrão e a diretora Lucyana Gomes: um jardim vertical de samambaias

“Temos muito espaço disponível e quero aproveitar isso para complementar os conteúdos teóricos com aulas práticas. Além dos pés de amora, abacate, caju, acerola, banana, fruta-do-conde, coco, goiaba e cajá-manga que já existem aqui, vamos plantar também jabuticaba, pequi e murici”, adianta.

Já a horta, segundo ele, contará com canteiros de couve, alface, cenoura, beterraba, pimentão, tomate e pepino, além de temperos e ervas aromáticas. Entre elas pimenta, salsa, cebolinha, coentro, manjericão e alecrim.

Reciclagem e sustentabilidade

Formado em Biologia e Medicina Veterinária, Edson avalia que, daqui a um mês, o visual da escola estará completamente mudado com as novidades. Ele faz questão de destacar o envolvimento de todos os professores e da direção da escola em todas as ações que coordena.

E dentro do conceito de sustentabilidade, o professor diz que pretende criar também uma estação de compostagem para transformar boa parte do lixo gerado na unidade de ensino em composto orgânico, que será utilizado na adubação de todas as plantas.

“Passamos a maior parte do nosso tempo durante a semana na escola. Então nada melhor do que tornar esse ambiente o mais confortável e agradável possível” Diretora Lucyana Gomes

A diretora Lucyana Gomes dos Santos explica que tanto o jardim vertical quanto a horta e o pomar fazem parte de uma iniciativa mais ampla, que é o projeto Revitalizando a Escola. Além da pintura de toda a parte interna da unidade educacional, essa ação inclui a criação futura de um espaço de lazer e descanso para os alunos em meio ao verde da horta e das frutíferas.

“O Andrelino (Cepi) é nossa segunda casa. Passamos aqui a maior parte do nosso tempo durante a semana. Então nada melhor do que tornar esse ambiente o mais confortável e agradável possível”, observa Lucyana.

Professores ganham sala para descanso

O novo espaço foi aprovado e elogiado pelos professores

Diretora eleita para seu primeiro mandato, Lucyana Gomes assumiu o cargo no início deste mês, mas já promoveu algumas mudanças consideradas positivas por sua equipe. A principal delas foi a criação da Sala de Descanso para os professores, que trabalham na unidade em regime de tempo integral.

O novo espaço, claro, foi aprovado por unanimidade pelos educadores. A pedagoga Suzana Borges de Castro opina em nome dos demais.

“Todos nós adoramos a Sala de Descanso por nos sentirmos cuidados e valorizados, pois é bem cansativo ficar 10 horas seguidas, de segunda a sexta, no colégio. Eu considero essa atitude da direção como um gesto de carinho conosco porque permanecemos aqui nos horários vagos e até na hora do almoço”, lembra.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here