A escola abraça a literatura

0
898
Ione Rodrigues, Gedeon Campos, Idelma Silva, Ailza Araújo e Thierry Bastos ajudaram a idealizar o projeto / Fotos: Mônica Salvador

Fabiola Rodrigues

Alunos da rede pública de Aparecida de Goiânia e região estudam e montam apresentações artísticas baseadas em obras literárias

Um projeto, denominado Tributo Literário, desenvolvido por escolas estaduais de Aparecida de Goiânia, está ajudando os estudantes do 1° ao 9° ano a entrar em contato com obras literárias de forma inovadora e atraente. Além de ler as obras, os alunos montam apresentações artísticas baseadas nos autores estudados. Este ano as interpretações de contos, poemas, peças de teatro, dança e poesia feitas pelos estudantes a partir de obras lidas por eles desde o início do ano estão acontecendo desde o dia 17 de agosto e seguem até 5 de setembro, em 76 escolas da região.

O professor de Português Gedeon Campos, que ministra aulas de literatura há 23 anos no Colégio Estadual Jardim Tiradentes, em Aparecida de Goiânia, acredita que o trabalho tem agregado conhecimento cultural para crianças e adolescentes que se envolvem no projeto literário. O resultado é melhoria no desempenho da leitura, escrita e descoberta de habilidades artísticas.

Professor Gedeon Campos: “Incentivo à leitura de obras, por meio do lúdico”

“Com todas as mídias e tecnologia disponível, o universo da leitura, para muitos jovens, parece um desafio a ser praticado. Temos que reconhecer isso. Esse projeto faz o aluno conhecer obras literárias de vários autores”, diz o professor.

A integração em rodas de leitura, debates ajuda os alunos mais tímidos a falar. Eles criam coragem para declamar poema, dançar em grupo, participar de peça teatral. As barreiras da timidez vão sendo desconstruídas. A aproximação com o professor vai se tornando natural.

“Estamos ajudando os estudantes a ter experiências com diversos tipos de leitura, por meio do lúdico. Alguns acabam entrando nesse cenário com um pouco de estranhamento, mas dá certo. No final eles brilham realizando grandes apresentações”, explica Gedeon Campos.

O professor ressalta que esses trabalhos estimulam a criatividade do estudante. Neste caso, o mais interessante não são as melhores ideias ou a escrita mais correta, os educadores analisam é a desenvoltura e esforço do aluno ao se organizar para o dia de apresentações.

O coordenador do Colégio Estadual Jardim Tiradentes, Thierry Barbosa, explica que o trabalho literário é produzido passo a passo. Começa pelo entrosamento em sala de aula, depois professores e alunos discutem as obras literárias e escolhem como apresentarão as histórias narradas nos livros. Juntos, vivenciam momentos de descontração e entusiasmo.

Pedagoga Ailza Araújo: “Os trabalhos proporcionam contato com a literatura”

Como o estudante prefere aprender interagindo, a didática de ensino se torna cada vez mais atrativa. Os professores que compreendem essa mudança conseguem prender a atenção do aluno.

“Temos a função de mostrar que o aprendizado não é só quadro e giz. O estudante de hoje deseja interação. Então precisamos caminhar evoluindo na forma de ensinar. É importante envolvê-lo em ações, projetos que incentivem o diálogo e o conhecimento cultural”, diz o coordenador.

Concretização do Tributo Literário, as apresentações artísticas são o momento que as comunidades escolares se encontram para se manifestar artisticamente e homenagear os escritores. Na prática, é uma soma de conhecimentos, descobertas coletivas, pois os alunos de escolas diferentes se reúnem para dialogar e mostrar o trabalho realizado sobre as obras dos autores que estudaram. Na apresentação do dia 17 de agosto, no Colégio Estadual Donato Coutinho de Abreu, em Aparecida de Goiânia, o escritor Gilberto Mendonça Teles marcou presença no evento. No dia 22 de agosto foi a vez do escritor Christie Queiroz interagir com os alunos no Serviço Social da Indústria (Sesi) de Aparecida de Goiânia, onde foi realizado mais um Tributo Literário.

Iniciado em 2012, o projeto se expande a cada ano, já que os professores têm observado o positivo envolvimento do estudante durante as apresentações. Este ano os alunos do Ensino Fundamental da Coordenadoria Regional de Educação, Cultura e Esporte de Aparecida de Goiânia estão estudando, desde fevereiro, a vida e obra dos escritores Christie Queiroz, Leonardo Mendes Cardoso, Carlos Drummond de Andrade, Gilberto Mendonça Teles e Millôr Fernandes.

“Quando o professor percebe potencial no estudante, as coisas acontecem com naturalidade e ele vai fluindo”, Idelma Silva, coordenadora Regional de Educação

A coordenadora Regional de Educação, Cultura e Esporte de Aparecida de Goiânia, Idelma Silva, explica que as apresentações são a concretização do trabalho desenvolvido há meses em várias escolas da regional. É a hora de muitos alunos realizarem o sonho de se apresentar, pois ensaiaram por muito tempo trechos de contos, histórias, poemas.

Os professores acompanham a evolução dos alunos e os orientam desde o início do ano. Os estudantes se juntam para montar o cenário e enfeitar a escola para receberem os alunos de outros colégios, além dos pais, é claro.

“Fico vislumbrada com os resultados. Para nós é motivo de comemoração. Quando o professor, a família vê o trabalho final dos estudantes, é gratificante”, conta Idelma Silva.

A coordenadora observa que muitos talentos são revelados nas apresentações.

“Temos artistas nas escolas. Vejo jovens cantando, dançando. Existe dom artístico. Quando o professor percebe potencial no estudante, as coisas acontecem com naturalidade e ele vai fluindo”, diz.

Uma de seus idealizadores, a pedagoga Ailza Araújo explica que um dos motivos para criação do projeto foi a necessidade de colocar os estudantes em contato com obras literárias e potencializar a leitura e a escrita deles. Desde então, ideias foram surgindo e tudo resultou em movimento cultural.

“Percebi que vários estudantes tinham dificuldades de se interessar por obras literárias, então fizemos isso para melhorar o ensino oferecido aos estudantes. É um aprendizado. Algo marcante na vida deles”, conta.

Estudantes do 1º ao 9º ano homenageiam escritores apresentando peças teatrais, danças, contos e musicais

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here