Iris destrava gestão e Goiânia vira canteiro de obras

0
233
Foto: Divulgação

Após um ajuste fiscal de médio prazo visando conter os gastos, para preservar os investimentos, o prefeito de Goiânia, Iris Rezende (MDB), destravou a gestão e transformou Goiânia em um verdadeiro canteiro de obras. Nos últimos meses foram dezenas de obras retomadas, iniciadas e novos projetos prontos para início após o período eleitoral. Apesar de ter assumido a prefeitura com mais de R$ 600 milhões em dívidas, Iris iniciou o resgate de um dos principais compromissos no pleito de 2016: a pavimentação de todas as ruas que surgiram após a saída do emedebista, em 2010. Apesar do déficit mensal que girava em torno de 30 milhões no início da gestão, foi mantido o esforço para não parar obras de grande porte. “Retomamos nos primeiros meses as obras importantes para Goiânia, como o BRT, a Maternidade Oeste e a pavimentação das ruas”, destacou. O emedebista ressaltou que a prioridade, no primeiro momento, foi honrar os salários atrasados, a exemplo da Saúde, que teve a folha de dezembro de 2016 paga apenas em janeiro. Foi normalizado ainda o pagamento de fornecedores, prestadores de serviço, além de compromissos obrigatórios com o IMAS, IPSM e consignados. Todos atrasados pela gestão passada. “A prioridade é manter os pagamentos em dia, negociar dívidas da gestão passada e fazer o maior esforço possível para garantir parcerias e investimentos essenciais, sobretudo, na Saúde, Educação e Infraestrutura”, destaca Iris. Depois de asfaltar as vias dos setores Santa Fé, Grajaú e Residencial Village Santa Rita, as máquinas já roncam nas etapas I, II, III e IV do Jardins do Cerrado. Além do asfalto, os bairros contarão com outros serviços de infraestrutura, como galerias pluviais, meios-fios e bocas de lobo. A ordem de serviço foi assinada na última semana. Nesta semana, o prefeito lançou pavimentação em mais dois setores, todos na região Norte: João Paulo II, e Vale dos Sonhos II, receberão o benefício, marca das gestões Iris.

Osmar Serestino, morador do setor João Paulo, afirma que espera o benefício há 10 anos. “Lama e poeira agora fica no passado”, comemora. O casal Maria Pereira de Matos e Edvaldo Pereira disse que morava no Vale dos Sonhos I, quando o prefeito asfalto o setor há 10 anos e depois mudou para o Vale dos Sonhos II há dois anos. “Por nossa surpresa precisou o Iris voltar para que o sonho fosse repetido”, relembra Maria.

Todos os 30 bairros sem asfalto, herdados pela atual gestão, serão contemplados. “Mesmo quando não estávamos asfaltando os bairros inteiros, mantivemos o serviço de pavimentação em vias que não tinha o benefício. Usamos os Mutirões da Prefeitura para realizar esses serviços, a exemplo da segunda edição na região Sul da Capital, na Avenida Nicolau Copérnico, no Jardim da Luz, via de acesso às faculdades da região e várias outras”, esclarece Iris. Outra obra que segue em ritmo acelerado é o BRT Norte/Sul. Pontos críticos ao trânsito ao longo da via estão em processo de conclusão. A região da rodoviária e da Avenida Goiás Norte com a Nerópolis, no Balneário, foram priorizadas por determinação do prefeito. Nestes locais, os canteiros funcionam até nas madrugadas. O BRT foi retomado após negociação da prefeitura de uma dívida de R$ 11 milhões com o consórcio. Outra importante intervenção ocorre na Marginal Botafogo. Estão sendo investidos R$ 7 milhões na via e no canal para melhorar a trafegabilidade e a resistência do local em dias de chuva. Uma solução definitiva está encaminhada para uma total reconstrução do local no montante de R$ 26 milhões. Tanto esta como outras obras aguardam o fim do período eleitoral. Oito praças já foram licitadas e serão lançadas em breve.

Orçada em R$ 70 milhões, a continuação da Avenida Leste Oeste aguarda a contrapartida do Governo de Goiás, que precisa aportar a metade do montante para que o canteiro saia do papel. A prefeitura garante que toda documentação foi apresentada à gestão estadual. Saúde

As obras do Hospital e Maternidade Oeste, que está sendo construído pela Prefeitura de Goiânia, também seguem a todo vapor. Localizada na região este da Capital, a unidade de saúde terá capacidade para realizar 800 partos por mês.

Foto: Divulgação

O Hospital e Maternidade Oeste está localizado na Avenida Gercina Borges Teixeira, com a Rua VC-32, no Conjunto Vera Cruz I. Para a construção da unidade, que terá 15 mil metros quadrados de área edificada, a empresa responsável dividiu a obra em quatro etapas. As equipes trabalham em três frentes distintas. A parte interna, formada por três andares, contará com 179 leitos, sendo 62 de obstetrícia, 23 de ginecologia, 31 leitos pediátricos, 10 leitos de UTI neonatal, 9 leitos de cuidados intermediários UCINCo, 5 leitos UCIN/Canguru, 5 berçários, 2 salas de observação pediátrica, 2 salas de intercorrência pediátrica, 8 leitos de observação, 2 salas de emergência, 5 salas de recuperação pós-anestésica e 15 salas de parto normal. Além disso, haverá laboratório, área administrativa, lavanderia e outros.

O prefeito garantiu recursos para concluir a Maternidade Oeste que estava parada por falta de contrapartida no valor de R$ 900 mil. “A prioridade é pagar a vista e conseguir sempre o maior desconto”, avalia o prefeito. Ainda na Saúde, a prefeitura está reformando todas as unidades na Capital. As unidades de saúde do Guanabara I e II estão em processo de conclusão. A prefeitura também prepara a 3º Upa de Goiânia. O atual Centro Integrado de Atenção Médico Sanitária (Ciams) Jardim América dará lugar à terceira Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Goiânia. As obras estão a todo vapor e vão preparar a unidade para atendimentos de complexidade intermediária, graças à disponibilidade de recursos como raio-x, eletrocardiografia, laboratório de exames e leitos de observação. O Ciams Jardim América tinha capacidade apenas para atenção primária. Os recursos para conversão do Ciams em UPA foram recebidos do Governo Federal em 2012, tendo dezembro de 2017 como prazo final para construção da unidade. Se a obra não tivesse sido iniciada, o dinheiro deveria ser devolvido ao Ministério da Saúde (MS). O Projeto da UPA do Jardim América encontra-se licitado desde julho de 2016. “A UPA é uma conquista muito grande para a população, não podemos prescindir de tamanho benefício”, afirma a secretária de Saúde, Fátima Mrué.

“O prefeito Iris Rezende e a equipe da SMS empreenderam todos os esforços possíveis para não perder esse recurso, que foi recebido e não utilizado pela gestão anterior; e para, assim, garantir esse tão importante investimento para a população”, acrescenta Fátima Mrué. O investimento na UPA Jardim América é de R$ 3.096.295,16.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here