Vanderlan Cardoso notifica Enel e Aneel por aumento abusivo no preço da energia em Goiás

0
30931
Divulgação

Senador eleito afirma que, se notificação não for atendida serão tomadas medidas judiciais imediatas e posteriores, quando iniciar a próxima legislatura

O senador eleito por Goiás, Vanderlan Cardoso, apresentou requerimento junto à Agência Nacional de Energia Elétrica – ANEEL, e à Enel Distribuição, pedindo a suspensão do reajuste no preço da energia anunciado para este mês de outubro. Vanderlan apresentou uma lista de fatores que qualifica o aumento como abusivo, causando prejuízo eminente ao consumidor.

A ANEEL aprovou, no dia 16 de outubro, um aumento médio de 15,31% na conta de luz para clientes de baixa tensão, que são em sua maioria formada por residências, e de 26,52% para média e alta tensão. O reajuste, que começa a valer no próximo dia 22, está bem acima dos índices inflacionários.

“Temos que dar um basta nesses abusos, não há nada que justifique esse aumento. Quem trabalha e quem gera emprego e renda nesse País não podem mais continuar pagando a conta da má gestão”, apontou Vanderlan.

Segundo dados do IBGE, Goiás foi o estado onde o preço da energia elétrica mais aumentou nos últimos meses. Enquanto no restante do Brasil o aumento médio foi de 1,46%, aqui chegou a 13,73%, maior variação do País, segundo o índice de Preços ao Consumidor (IPCA).

“Me parece que esse pessoal ainda não entendeu que o Brasil mudou. Não vamos mais aceitar esses aumentos sem justificativas. Não dá mais para deixar essa conta nas costas do trabalhador”, destaca o senador.

Vanderlan explicou que a empresa não comprovou nenhum investimento para melhoria no sistema elétrico que justifique esse aumento. Ao contrário, de 2017 até o primeiro trimestre deste ano a ANEEL registrou 9,9 mil reclamações por falhas nos serviços prestados pela Enel (antiga Celg).

De acordo com o senador, os aumentos abusivos acontecem, também, por que não há concorrência no setor. Ele explica que existe um monopólio velado no País. “Vamos dar um basta nesses monopólios disfarçados que existem hoje, como é o caso da energia elétrica, do gás e dos combustíveis. Vamos quebrar esses monopólios para que a população pague um preço justo e tenha qualidade nos serviços”, diz.

Caso não atenda o requerimento e não suspenda o aumento, Vanderlan afirma que irá acionar judicialmente os envolvidos a fim de evitar que o reajuste se concretize. “Com o início da nova legislatura nós tomaremos medidas para coibir todo abuso em relação às tarifas cobradas pela distribuidora de energia em Goiás”, finaliza.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here