Artigo | Toda morte representa muito mais do que um corpo a menos na multidão

0
3949

Por Alfredo Bessow

De repente, no fim de tarde dessa segunda-feira estoura na tela do meu whatsapp a mensagem do jornalista e amigo Luiz Henrique: o Laerte Junior morreu. Mais do que um baque, minha interjeição foi de espanto e de recriminação: conta outra, Paraiba.

Não tinha outra pra contar. Era isso mesmo…

Mais do que jornalista de fino trato para com os amigos e uma inesgotável capacidade de indignação diante das safadezas, Laerte era figura talhada para fazer rádio – um mundo diferente, quase uma entidade com seus códigos e suas magias.

Conheci a troupe composta por Luiz Henrique, Laerte Júnior, Nonato Bandeira, futuro secretário de Governo da PB, e a boliviana Ana Sanches, quando eles tocavam um projeto maravilhoso de rádio livre em Alvorada do Norte (GO). A Rádio Livre Vale do Paranã foi a primeira emissora com esta proposta em todo o estado de GO e uma das pioneiras no País.

Com uma emissora, ousadia, talento e muito profissionalismo, eles mudaram a rotina das pacatas comunidades de Alvorada do Norte e de Simolândia. Estive algumas vezes lá e lembro dos festivais de música e da garra com que os quatro se desdobravam – inclusive com alternativas para fugirem das fiscalizações ordenadas pelos chefetes políticos do local que não aceitavam a presença daqueles intrusos.

Eram tempos de muita utopia, onde o amanhã ainda era uma possibilidade real. Onde ainda tínhamos sonhos. Onde ainda acreditávamos em mudar o mundo. Estive lá algumas vezes e lembro de histórias fantásticas – que envolveram também o Dumar (responsável pela ida deles para a região) e o Pieri e o Waldo (os dois últimos, jornalistas de serviço público aqui no DF).

Pois bem….

O Laerte morreu… Meu amigo chato feito uma porta de geladeira trancada, mas um ser humano denso, intenso e de língua afiada. Diabético, pouco cuidava da saúde e lá se foi ele, aos 52 anos – depois de ter completado 31 anos de “rádio” com passagens na Rádio Difusora Goiânia, Rádio Anhanguera, Rádio Mil FM, Rádio Clube, Rádio Sucesso, Rádio Companhia, Mix FM, Jornal Argumento, TV Goyá e TV Serra Dourada. Atualmente fazia parte da equipe de jornalismo da Rádio Terra FM.

Com sua irreverência, senso crítico e ferocidade, nos últimos cinco anos Laerte Júnior era o profissional de comunicação mais influente de Goiás no Twitter.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here