“Maior preocupação é sistema prisional”, afirma secretário de Caiado

0
1212
Foto: Divulgação

O escolhido para comandar a pasta da Segurança Pública e Defesa Social (SESD) de Goiás, Rodney Miranda, afirmou, durante coletiva de imprensa nesta quarta-feira, 12, que a maior preocupação do governo Ronaldo Caiado (Democratas) na área é a situação do sistema prisional no Estado.

Segundo ele, há ações que precisam ser tomadas com urgência para coibir o crime organizado, combater as facções criminosas e resolver a situação da superlotação nas unidades.

“É uma área que atuaremos fortemente. Temos algumas medidas já definidas, como a conclusão acelerada de obras em andamento, a recolocação, separação de presos por periculosidade e a busca de apoio ao governo federal, que é importantíssimo para todo o sistema”, detalhou.

Um levantamento do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJ-GO) divulgado no começo do ano mostrou o delicado quadro da situação carcerária no Estado. Os 156 estabelecimentos prisionais espalhados por Goiás oferecem um total de 9.576 vagas, mas abrigam mais que o dobro da capacidade, chegando a 19.955 presos. Segundo o TJ-GO, o déficit de vagas é de 98%.

Justamente por isso, o governador Ronaldo Caiado já abriu canais de conversa em diversas frentes com a equipe do presidente Jair Bolsonaro (PSL) para tentar construir saídas para a crise penitenciária. “Temos boa perspectiva. Sabemos que o início será difícil, mas trabalharemos com firmeza para superar as dificuldades, trazendo paz e tranquilidade para a sociedade goiana”, garantiu o secretário.

A avaliação foi feita durante o anúncio do próximos comandantes da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros Militar e da Casa Militar, realizado em um hotel da capital. Os escolhidos foram: Coronel Renato Brum dos Santos (comandante-geral da PM), Coronel André Henrique Avelar de Sousa (subcomandante-geral da PM), Coronel Newton Nery De Castilho (secretário-chefe da Casa Militar) e Coronel Dewislon Adelino Mateus (comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar).

De acordo com o secretário Rodney Miranda, a escolha de todos os nomes foi feita em conjunto com o governador eleito, representantes das corporações e da sociedade civil. “Fizemos várias consultas, conversamos com muitas pessoas, buscando perfil operacional, que exercesse bom comando e controle da tropa. Tínhamos diversas opções, temos quadros qualificados em ambas corporações”, destacou.

Medidas
Entre as primeiras providências a serem tomadas pela nova gestão da segurança pública em Goiás está a reestruturação da PM e também dos Bombeiros. O futuro secretário explicou que buscará profissionais que estão exercendo funções administrativas atualmente para devolvê-los às ruas.

“Teremos uma busca incessante e obsessiva por policiais nas ruas, fazendo trabalho de enfrentamento e de prevenção da segurança”, argumentou.

A estimativa é de que cerca de 10% dos quadros da Polícia Militar esteja, hoje, em atividades administrativas, ou seja, em órgãos públicos e/ ou serviços burocráticos. Para substituir tais servidores, o governo eleito pretende convocar militares na reserva.

Outra medida anunciada por Miranda é justamente a realização de concurso público para reposição dos quadros policiais – Goiás tem um dos maiores déficits no efetivo da PM de todo o País.

“Vamos acompanhar a recuperação econômica do Estado para saber o momento de fazer as reposições devidas, mas antes temos que saber onde e quem trazer para as corporações. O governador está otimista e tenho certeza que nossa equipe está à altura dos anseios do povo goiano”, arrematou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here