Caiado avança em diálogo para ampliar investimentos da Mitsubishi e John Deere em Goiás

0
864
Fotos: Divulgação

A interlocução do governador Ronaldo Caiado (DEM) junto aos dirigentes da Mitsubishi e John Deere deve garantir novos investimentos para o município de Catalão, como sinalizado pelos representantes das duas empresas durante visita do governador ao pátio das fábricas, na manhã desta quinta-feira (7/2). Caiado foi recepcionado pelos diretores da Mitsubishi, Robert Rittscher, e da John Deere, Edison Drescher. “É superimportante mostrar o que fizemos e o que vamos fazer e como podemos ajudar e participar do governo nessa luta grande que Caiado está enfrentando para recuperar o Estado”, pontuou Rittscher.

Na primeira parada, Ronaldo Caiado conheceu a fábrica HPE, que produz os veículos das marcas Mitsubishi e Suzuki. Além de ter a oportunidade ver de perto detalhes da linha de produção, o governador ressaltou a importância da montadora como propulsora do desenvolvimento econômico não só do município, mas também do Estado. “A Mitsubishi tem uma história em Goiás. Está completando 20 anos e é algo impressionante. Isso realmente mostra o potencial que Goiás está hoje para disputar [espaço] no cenário internacional”, afirmou Caiado.

Na sequência, direcionou-se à unidade da John Deere responsável pela fabricação de colhedoras de cana-de-açúcar e pulverizados de Catalão.

Durante a visita, o governador esteve acompanhado do futuro secretário de Indústria e Comércio, Wilder Morais, que se reuniu com os membros das duas multinacionais, para avaliar pendências existentes entre a secretaria, o governo e a empresa. O objetivo é que eles possam trazer uma terceira linha de produção para Catalão, gerando mais investimentos e empregos, com 93% das vagas destinadas a trabalhadores do município. A previsão é de que, com a expansão, só a Mitsubishi gere 200 novos empregos diretos.

Em coletiva à imprensa, Ronaldo Caiado frisou a importância de “sair do gabinete” e buscar ações voltadas para o desenvolvimento regional, garantindo emprego, renda e melhor qualidade de vida à população. “Catalão é uma das maiores rendas per capita do Brasil; a maior de Goiás. É referência hoje em todas as áreas – na indústria, na agropecuária, na mineração. Enfim, é uma cidade pujante. Precisamos aprender com seu exemplo para transformar as nossas regiões também norte e nordeste do Estado com a mesma capacidade produtiva devido ao potencial que tem o nosso estado de Goiás”.

Porto seco
Para o prefeito de Catalão, Adib Elias, a incerteza em torno da saída da Mitsubishi do município gerou apreensão na população, mas que graças ao encontro desta quinta-feira, todos saíram “extremamente impressionados”. O prefeito ressaltou que o momento é de diálogo e união. “Não adianta fazer greve, não adianta brigar. Temos que resolver e a parcimônia é muito importante neste momento, com a presença da Mitsubishi, com a cidade de Catalão com o governo do Estado e com o secretário de Indústria e Comércio”, completou.

Adib ressaltou que a atuação do governador Caiado e do futuro secretário Wilder Morais vai ser decisiva para agilizar a construção de um porto seco para o município. “Fica muito mais fácil agora. Com um empresário e um ex-senador como o Wilder Morais e o apoio do governo, tenho a absoluta certeza de trânsito livre para a construção do porto seco e inúmeros outros projetos para o Estado de Goiás. É algo que a cidade de Catalão e a região precisam”.

Mitsubishi em Catalão
A possível expansão dos negócios da empresa em Goiás compreende a produção do utilitário esportivo médio Eclipse Cross, a partir do segundo semestre de 2019, na adequação da linha de produção, aquisição de novos equipamentos, treinamento de pessoal e atividades de expansão. Serão gerados 200 novos empregos para a produção do quarto modelo da marca em Catalão, onde já são montados a Picape L200, o utilitário compacto ASX e o sedã esportivo Lancer.

A HPE realiza também a montagem do jipe Jimny, da Suzuki, em versão com câmbio manual, em Catalão. O modelo com câmbio automático, o Jimny Sierra, será importado a partir do segundo semestre de 2019, mas também poderá ser produzido em Goiás.

Já a fábrica de colhedoras de cana-de-açúcar e pulverizados da John Deere de Catalão emprega atualmente mais de 700 funcionários e exporta a produção para 20 países. Foram U$ 55 milhões investidos nos últimos anos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here