Orquestra Feminina se apresenta hoje em homenagem ao Dia da Mulher

0
672
Foto: Reprodução/Facebook

Nesta sexta-feira, 8 de março, a capital goiana terá a oportunidade de apreciar um espetáculo inédito e histórico. Trata-se de um concerto com a Orquestra Sinfônica Feminina, que se apresenta pela primeira vez, em homenagem ao Dia da Mulher. O grupo sinfônico é composto somente por mulheres, sob a regência da maestrina goiana Katarine Araújo, um dos mais proeminentes talentos femininos do Brasil. A apresentação será às 20 horas, no Teatro Goiânia, com entrada franca.

A Orquestra Sinfônica Feminina será formada por musicistas das principais orquestras da cidade: Orquestra Sinfônica de Goiânia, Orquestra Filarmônica de Goiás, Orquestra Sinfônica Jovem de Goiás e Orquestra Jovem Joaquim Jayme. Como solista, teremos 10 instrumentistas e cantoras que se revezarão frente à Orquestra, executando os mais variados instrumentos e repertórios, mostrando o potencial e a força das mulheres em todos os aspectos da música de concerto.

Nomes como Sabah Moraes (cantora), Nilzeth van Beethoven (violista) e Ana Paula Ferreira (trompetista) estarão entre as solistas convidadas da noite. O programa será variado, contando com obras clássicas (com destaque para a Abertura em Dó Maior da compositora alemã Fanny Mendelssohn) e populares.

A proposta é mostrar a crescente força das mulheres na música de concerto, em especial nas orquestras, um universo historicamente quase que exclusivamente masculino (A Filarmônica de Viena, por exemplo, admitiu uma mulher nas suas fileiras somente no começo dos anos 2000, depois de mais de 150 anos de história). Em anos recentes, as mulheres têm ocupado cada vez mais espaços na música de concerto em instituições ao redor do mundo, inclusive em postos de liderança como maestrinas, como é o caso, por exemplo, da americana Marin Alsop, regente titular da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, uma das mais importantes da América Latina.

Goiânia foi pioneira ao formar a primeira Orquestra Sinfônica Feminina, que funcionou entre 1959 e 1961, numa iniciativa da pianista Belkiss Spenciéri, contando com a regência do maestro belga Jean Douliez. O êxito dessa orquestra foi enorme, com inúmeras apresentações em Goiânia e também uma apresentação em praça pública em Belo Horizonte, na presença do então presidente Juscelino Kubtschek. Foi a primeira iniciativa no gênero no Brasil e a segunda no mundo, sendo destaque em revistas e jornais brasileiros e em alguns países da Europa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here