Secretária conhece equipamento que ‘devolve’ visão a alunos cegos e com baixa visão

0
862
Foto: Divulgação

A secretária Fátima Gavioli conheceu nesta quinta-feira (21/3) uma tecnologia inovadora que poderá beneficiar todos os alunos cegos e com baixa visão da rede pública estadual. Trata-se do OrCam MyEye, um equipamento que, ao ser acoplado aos óculos, captura imagens e textos, letras e números e transforma tudo isso em áudio.

Quem apresentou a novidade para Fátima Gavioli foi o representante de Israel, Doron Sadka. Na visita à secretária de Educação do Estado de Goiás, ele veio acompanhado do presidente da Associação dos Deficientes Visuais do Estado de Goiás (Adveg), Aldenor Carneiro, e do diretor de Planejamento da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), André Ariza Naves.

“Esse dispositivo facilita muito a vida das pessoas que apresentam cegueira ou dificuldade para enxergar. E é muito útil também para quem tem dislexia, déficit de atenção, síndrome de down, autismo e até mesmo os albinos”, explica Doron. Uma das principais vantagens do pequeno aparelho, segundo Doron, é proporcionar independência e autonomia aos deficientes visuais.

O OrCam MyEye custa, em média, R$ 19 mil e pode ser programado para fazer leituras em três idiomas: português, inglês ou espanhol. Doron explica que para facilitar a aquisição do equipamento, o valor pode ser parcelado em até 60 vezes dentro da linha de financiamento de produtos de acessibilidade do Banco do Brasil (BB).

Em Goiás, uma das possibilidades para ampliar o acesso à tecnologia assistiva é disponibilizá-la nas bibliotecas públicas. Ideia que agradou bastante o advogado Aldenor Carneiro, presidente da Associação dos Deficientes Visuais do Estado de Goiás (Adveg).

Patrimônio
Para a secretária Fátima Gavioli, o equipamento seria ainda muito mais útil se pudesse chegar a cada um dos alunos cegos ou com baixa visão que estudam nas escolas públicas estaduais. “Nós temos hoje matriculados na rede, 91 cegos e 1.076 alunos com baixa visão e se eles tivessem acesso à essa tecnologia, seria maravilhoso. Os aparelhos seriam um patrimônio da escola, beneficiando ano a ano mais e mais estudantes”.

Apesar da inovação tecnológica representar um grande ganho para o ensino-aprendizagem de estudantes cegos ou com deficiência visual, a secretária justificou que, neste momento, é totalmente inviável a negociação para compra do modelo, visto que a realidade econômica do Estado é bastante crítica.

Uma sugestão dada por Fátima Gavioli ao diretor de Planejamento da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), André Ariza Naves, foi sobre a possibilidade da aquisição do OrCam MyEye com recursos destinados por emendas parlamentares apresentadas coletivamente pelos deputados estaduais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here