Cepae UFG aprova mais de 60% no Sisu

0
657
Foto: Reprodução

A aprovação em uma Instituição Federal de Ensino Superior (Ifes) é a aspiração de muitos estudantes pelo país. Para quem almeja uma vaga no curso escolhido, ainda mais em uma instituição pública, são necessárias rotinas de estudos. Esse sonho foi vivenciado por alunos do Centro de Ensino e Pesquisa Aplicada à Educação da Universidade Federal de Goiás (Cepae-UFG). Segundo Alcir Horácio da Silva, diretor do Cepae, 62,4 % dos alunos do Ensino Médio da unidade tiveram êxito no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), principalmente em Ifes, dentre elas, a Universidade Federal de Goiás.

Uma das ex-alunas do ensino médio do Cepae, Sofia Carvalho, conquistou sua vaga na UFG. A agora graduanda do curso de Relações Internacionais, pontua a importância do centro de ensino para sua aprovação. “O projeto político-pedagógico do Cepae, a excelente qualificação dos professores e a disposição para promover um ensino libertador são os fatores que me trouxeram à universidade, como trouxeram outros colegas também”.

A estudante ressalta que a entrega um trabalho de conclusão do ensino médio  é um pré-requisito para se formar no colégio. “Esse trabalho nos proporciona outra dimensão para a escrita. Toda essa experiência é refletida no nosso bom desempenho na prova de redação do Enem [Exame Nacional do Ensino Médio]”. O Cepae também oferece projetos de extensão em diversas áreas, como projetos de iniciação científica. “Os alunos que possuem conhecimento em uma disciplina específica, podem ir além para desenvolverem suas habilidades”, afirmou Sofia.

Os principais motivos para uma taxa alta de aprovação no Sisu se devem às metodologias de ensino aplicadas na escola. “Vários são os fatores que podem indicar este fenômeno no Cepae, como um corpo docente e técnicos administrativos em educação altamente qualificados, sendo o corpo docente em sua maioria, doutores, que exploram ao máximo as qualidades dos discentes”, declarou Alcir. Além de destacar a importância do trabalho pedagógico nesse trabalho em que é priorizado o ensino, a pesquisa e a extensão, o diretor ressaltou a necessidade de que haja um vínculo familiar que dê suporte para os alunos. “Outros fatores não são menos importantes, como o acompanhamento familiar, capital cultural absorvido por aluno, entre outros”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here