Caiado articula ampliação de empresa que pretende investir R$ 1,2 bi em Catalão

0
848
Foto: Divulgação

Em reunião com o governador Ronaldo Caiado, nesta quinta-feira (09/05), o presidente-executivo da mineradora chinesa CMOC, Steeli Li, anunciou projeto de investimento de cerca de R$ 1,2 bilhão para ampliação das atividades da companhia em Catalão, onde já atua há 40 anos. A última ampliação da empresa ocorreu em 2002, ou seja, há 17 anos.

Com esse novo aporte, a expectativa é de que 2 mil novos empregos sejam gerados durante a fase de ampliação da mineradora, que deve durar dois anos, e mais 500 sejam criados após a conclusão da obra. “Com estes postos de trabalho e investimentos podemos fazer contribuições para o bem-estar e melhorar a renda do povo goiano”, assegurou o presidente da CMOC.

Participaram da reunião o prefeito de Catalão, Adib Elias; e os secretários Andréa Vulcanis (Meio Ambiente), Wilder Morais (Indústria e Comércio), Antônio Carlos Lima (Agricultura) e o presidente da Agência Goiânia de Regulação, Controle e Fiscalização de Serviços Públicos (AGR), Eurípedes Barsanulfo.

A multinacional está instalada em Catalão desde 1970 e atua na mineração, principalmente, com o beneficiamento de nióbio e fosfatos, minerais essenciais para o desenvolvimento de indústrias e para o crescimento da agricultura.A empresa produz, por ano, 10 mil toneladas de nióbio na região.

O governador Ronaldo Caiado ressaltou o potencial de Goiás na produção do nióbio, mineral utilizado para atingir grau de sofisticação e qualidade em produtos, principalmente, de informática. “Temos, hoje, uma mina com potencial de ser, se não a maior, uma das maiores no mundo”, enfatizou.

Após apresentar a empresa, que tem atuação global e é uma das 15 maiores do mundo, com filiais na Austrália, Congo, Europa e China, Steeli Li destacou que a empresa quer se tornar uma das melhores do setor no Brasil. O investidor também salientou que a CMOC é constituída com valores como segurança, saúde, meio ambiente e a área social. “Isso é pilar na nossa empresa. Fazemos as melhores práticas no padrão mundial”, sublinhou.

Caiado destacou que o Estado está comprometido em oferecer à companhia condições e apoio para que os projetos sejam colocados em prática o mais rápido possível. “Vocês têm aqui uma liga perfeita, em que o prefeito Adib Elias é nosso grande parceiro e, como tal, as ações municipais e do Estado se darão em total sintonia e celeridade”, reforçou o governador.

Para o prefeito de Catalão, Adib Elias, a empresa entendeu que investir em Goiás é importante e “profícuo para a companhia e para nós”. Ele ressaltou a importância da mineração para a cidade e como isso foi fundamental para transformá-la a partir da década de 1970. “Entendo que outras empresas se instalaram lá. A Mitsubishi, Suzuki, mas somos o que somos graças ao setor mineral. Não existe um Estado mais rico do que Goiás no setor mineral”, assegurou.

O secretário de Indústria e Comércio, Wilder Morais, destacou ser muito positiva a ampliação da CMOC, para a geração de emprego e renda para toda a região de Catalão e afirmou que a pasta será parceira da multinacional.  “Temos uma Superintendência de Mineração e temos uma equipa técnica altamente preparada, que conhece muito do assunto. Estamos à disposição”, frisou.

Na área ambiental, a companhia foi elogiada pela secretária estadual de Meio Ambiente, Andréa Vulcanis. Recentemente, em iniciativa própria, sem a necessidade de notificação, a mineradora pediu autorização para secar uma barragem e transportar rejeitos de minério de nióbio para uma área estéril. “É importante registrar a iniciativa porque consideramos uma atitude muito responsável do ponto de vista ambiental”, destacou.

Para Vulcanis, a atividade da empresa sendo segura do ponto de vista ambiental, terá do Governo de Goiás todo esforço para atender à demanda com a maior agilidade possível. “Registramos a importância do empreendimento mineral para Goiás e a Secretaria de Meio Ambiente quer ser parceira no sentido de promover, junto com a empresa, o desenvolvimento regional sustentável”, pontuou.

Novos investimentos
Ainda durante a reunião, o presidente-executivo da CMOC adiantou o desejo de novos projetos no Brasil e no Estado, inclusive com a produção de fosfato para contribuir com o desenvolvimento da agricultura. “Em Goiás, mais de 50% dos fertilizantes são importados. Podemos contribuir mais para reduzir a dependência da importação”, argumentou Steeli Li, salientando que a companhia entrou no Brasil não só por aquisição do nióbio, mas para fazer um investimento de longo prazo e, para isso, é preciso firmar parcerias.

Caiado afirmou que é muito importante para o Estado, cada vez mais, a capacitação, o investimento em tecnologia e destacou que um possível aumento da produção de fosfato vai ajudar a promover o desenvolvimento da agropecuária. “Realmente, temos uma grande dependência do fosfato na agricultura, como também do potássio. Esperamos que, como na Austrália, desenvolvam aqui uma atividade agropecuária com minerais mais baratos para podermos avançar na produção”, enfatizou.

Ao final da reunião, o governador pediu ao presidente da CMOC que leve ao governo chinês e a outros investidores a mensagem de que Goiás está de braços abertos. E a resposta de Steeli Li foi positiva. “Nós temos muita confiança no Brasil e em Goiás. Vamos partilhar essa experiência com outras empresas. Tenham em nós uma ponte entre a província da China e o Estado de Goiás”, ressaltou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here