Embaixador do Japão vem a Goiás conhecer programa de aprendizagem

0
685
Foto: Internet

Por intermédio da Fundação Pró-Cerrado, Goiás vai receber representante de uma das maiores potências mundiais. O embaixador do Japão, Akira Yamada chega a Goiânia no dia 16, onde cumpre uma longa agenda de compromissos com lideranças políticas, empresariais e nipo-brasileiras. No dia 17, ele participa da cerimônia de abertura da 74ª Exposição Agropecuária do Estado de Goiânia – SGPA.

Na sexta-feira à tarde Valdinei Valério, superintendente da Rede Pró-Aprendiz e coordenador internacional do C20, irá fazer um tour na Fundação Pró-Cerrado com Akira Yamada. A visita tem como o objetivo mostrar ao embaixador as experiências e os resultados da aprendizagem e primeiro emprego na vida dos jovens atendidos pelo programa.

Para Valdinei, é fundamental esse intercâmbio de experiências, já que o Japão irá receber líderes do mundo todo no encontro do G-20, nos dias 28 e 29 de junho. “Precisamos mostrar a aqueles, que tomam as decisões, os estudos que ajudam a priorizar as políticas para a juventude. Desde janeiro participei [no Japão] de encontros para discutir os pontos abordados pelo grupo de Trabalho, Negócios e Direitos Humanos do Civil 20 (C-20) e a nossa ideia é transformar os assuntos elencados nas reuniões em uma declaração que sirva de modelo para a implantação de políticas públicas em todos os países”.

Há dois anos, a instituição é responsável por coordenar o Grupo C20, composto por organizações da sociedade civil, com o propósito de assegurar ações efetivas em temas como Educação, Trabalho e Inclusão. E, no início do ano, a Organização das Nações Unidas (ONU) reconheceu na tecnologia social idealizada em Goiás pela Fundação Pró-Cerrado, por meio da Rede Pró-Aprendiz, como um modelo a ser replicado em todos os países no desenvolvimento de políticas públicas a jovens e adolescentes.

Ao ser uma das reivindicações do C20, a necessidade de polícias públicas para a juventude tem ocupado, cada vez mais, um espaço maior nas pautas dos grandes encontros das nações mundiais. “Hoje, há uma grande necessidade de conhecer e crias novas metodologias e tecnologias para serem usadas na formação e capacitação de jovens em situação de vulnerabilidade social”, explica o superintendente da instituição.

Durante o ano, Valdinei Valério coordenou vários fóruns do encontro do C20, que são encontros de líderes da sociedade civil organizada para a preparação e construção de um documento que será apresentado para as autoridades do Grupo dos 20.

“Entendemos que a educação é o ‘direito dos direitos’ e uma maneira fundamental de acessar outros, como o trabalho e a segurança social. A educação de qualidade e igualitária é uma das formas de quebrar o círculo de reprodução da pobreza”, diz Valdinei Valério.

Valdinei lembra que o programa Jovem Cidadão atende mais de 5 mil jovens em Goiás e que é exemplo para vários países que buscam a capacitação e desenvolvimento dos jovens. “Hoje, esse tema tem relevância global. O emprego decente, a capacitação e a atualização profissional e contínua em uma sociedade digital e de desenvolvimento local sustentável para a promoção do trabalho são os principais focos das discussões em fóruns como o G20”, completa.

O que é o C20?

Um dos sete grupos de engajamento do G20, o Civil 20 (C20) é um espaço no qual as organizações da sociedade civil de todo o mundo podem contribuir com G20, garantindo que os líderes mundiais escutem não só as vozes representativas dos setores governamental e empresarial, mas também às propostas e demandas da sociedade civil como um todo.

Dados de organizações internacionais apontam que mais de 201 milhões de trabalhadores em todo o mundo estão desempregados, o que significa um aumento de 3,4 milhões desde 2016. O C20 busca, além de políticas públicas (incentivos e cotas especiais) para a inclusão laboral, a segurança social das mulheres e o cumprimento do objetivo de reduzir a diferença de gênero no mercado de trabalho em 25% até o ano de 2025, recomendado pelo C20 2018, para a proteção das redes de economia social, a alternativas como formas de desenvolvimento local.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here