Passeio das Águas Shopping recebe feira de vinis em comemoração ao mês do rock

0
683

Buscando resgatar um pouco da história, neste mês do rock, o Passeio das Águas Shopping recebe a “Feira de Vinil”, que segue até o dia 28 de julho, em frente à Magazine Luiza. Contendo mais de 1.500 discos, entre autografados e raros, a atração conta também com caricaturas de estrelas do rock, vídeo games e rádios antigos, vitrolas e fitas cassete.

A mostra gratuita reúne no mesmo espaço The Beatles, Pink Floyd, AC/DC, Michael Jackson, além de Alcione, Tião Carreiro e Pardinho e Tonico e Tinoco, mostrando tendências estéticas, conceituais e narrativas da época de cada um.

Possui ainda elementos raros, como o álbum de estreia do rei, Roberto Carlos, “Louco por Você” (1961) e itens autografados, como o clássico “The White Album”, dos The Beatles, dedicado por Paul McCartney. Em 2018, o disco celebrou 50 anos de lançamento, e conta com uma releitura para novembro deste ano.  Além do “Vamos Arrepiar”, o aclamado álbum de samba de Alcione, lançado em 1982.

A ação propõe ao visitante refletir, por meio dos elementos presentes nas capas e outros produtos culturais, sobre questões que ainda hoje percorrem a construção da cultura de massa. O evento disponibiliza, também, a discotecagem com o mesmo repertório dos vinis em exposição.

Além disso, quem visitar a mostra também vai ter acesso aos seis vinis mais vendidos no mundo e no Brasil. Como o disco “Thriller”, do cantor pop Michael Jackson, que vendeu mais de 110 milhões de cópias; o álbum “Back in Back”, do grupo australiano AC/DC, que, junto com o disco conceitual da banda de rock britânica Pink Floyd, The Dark Side of the Moon, vendeu incríveis 50 milhões de cópias. Já os brasileiros estão os cantores sertanejos Tonico e Tinoco, com mais de 150 milhões de cópias; o rei Roberto Carlos, com 120 milhões de cópias; e Nelson Gonçalves, com o disco “Pedidos” com 75 milhões de exemplares vendidos.

O objetivo da “Feira de Vinil” é provocar a nostalgia das músicas das décadas de 70 e 80 e proporcionar às novas gerações a oportunidade entrar em contato com discos exclusivos daquela época. “Decidi disponibilizar a minha coleção de vinis e itens culturais, principalmente dos anos 80, porque acho importante compartilhar com o público a grande era de ouro do Rock in’roll, além de ser uma aula de história envolvendo a música”, explica Guina, organizador e curador da exposição.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here