Operação cumpre 39 mandados em Goiás

0
626
Foto: Internet

Os Grupos de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaecos) dos Ministérios Públicos de Minas Gerais – Uberlândia – , de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Tocantins, Pernambuco, São Paulo – Franca – e Paraná – Londrina – deflagraram, em conjunto, a Operação Mercúrio, com diversas ações realizadas em nove Estados. A operação tem como objeto de investigação uma ramificada organização criminosa que atua no roubo e receptação de caminhões e cargas, em seus diversos núcleos (operacional, jurídico, lavagem de dinheiro, receptação, apoio logístico, empresas fantasmas, entre outros).

As investigações duraram cerca de dez meses e tiveram como origem as Operações Catira e Fideliza, deflagradas pela Polícia Federal em 2015. Estão sendo cumpridos 45 mandados de prisão preventiva e 49 mandados de prisão temporária. Em Goiás, são 17 mandados de prisão preventiva e 22 de prisão temporária (veja quadro abaixo).

A essas prisões somam-se ainda os 110 mandados de busca e apreensão, que estão sendo cumpridos nas cidades de Goiânia, Anápolis, Aparecida de Goiânia, Bela Vista de Goiás, Gouvelândia, Inhumas, Itumbiara, Quirinópolis, Rio Verde, Santa Helena de Goiás, Silvânia, Trindade, Vianópolis, Araguari (MG), Iraí de Minas (MG), Patrocínio (MG), Santa Juliana (MG), Uberlândia (MG), Campo Grande (MS), Chapecó (SC), Franca (SP), Belém (PA), Londrina (PR), Olinda (PE), Taipas do Tocantins (TO) e Várzea Grande (MT). Foi determinado o bloqueio bancário de R$ 40 milhões, bem como decretado o sequestro de mais de 200 veículos.

A Operação Mercúrio contou ainda com o apoio das Polícias Militar e Civil de Goiás, Secretaria da Fazenda de Goiás, Polícia Militar de Minas Gerais, Administração Penitenciária de Minas Gerais (Suape) e do Grupo Especial do Patrimônio Público do MP-MG (GEPP). Os números finais serão divulgados tão logo sejam encerradas as diligências.

O nome da operação, segundo a mitologia romana, refere-se a um mensageiro, deus dos transportes, da venda, do comércio, do lucro e dos ladrões.
Fonte: (MP-GO)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here