Governo de Goiás e Enel assinam acordo para melhorar distribuição de energia

0
205
Foto: Governo de Goiás/Divulgação

O governo do estado de Goiás assinou com a Enel, o acordo que apresenta um novo plano de investimento. A empresa concordou que vai antecipar os investimentos e a previsão é de ampliar em 26% a capacidade da rede de distribuição nos próximos três anos. Além disso, a Enel se comprometeu a melhorar as perdas na distribuição da rede atual e também a aumentar o número de conexões rurais. A assinatura do acordo foi acompanhada pelo ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque; do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e de representantes da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), secretários de Estado, além de deputados estaduais e federais.

As medidas, até o início de fevereiro do ano que vem, representarão aumento em 486 megawatts na capacidade de distribuição de energia.

O Governador Ronaldo Caiado afirma que esta confiante de que tudo que foi assinado será implantado dentro dos prazos e investimentos necessários. Ele afirma que este termo vai, de imediato, gerar uma demanda de aproximadamente 1,5 mil eletricistas.

Caiado ressaltou que algumas empresas, para se instalarem em Goiás, precisam investir também na compra de geradores, e citou que produtores de leite, principalmente os pequenos e médios, estão perdendo a produção porque não têm recurso para investir na comprar dos equipamentos para garantir a armazenagem correta em caso de interrupção da energia.

Uma das principais ações da Enel, de curto prazo, para possibilitar a liberação de carga de norte a sul do Estado, é a compensação de reativos na rede da distribuidora, o que possibilitará novas ligações de energia sem a troca de transformadores. Segundo a empresa, até 2022, serão acrescentados cerca de 1.500 MVA ao sistema elétrico, o suficiente, por exemplo, para abastecer as cidades de Goiânia, Anápolis, Rio Verde e todos os 28 municípios da Região Metropolitana.

O plano também prevê obras, dentre as elas a construção de 17 novas subestações, que irão atender 27 municípios, entre Goiânia, Aparecida de Goiânia, Anápolis, Mineiros, Rio Verde, Niquelândia, Luziânia, Senador Canedo e Iporá. Cerca de 835 mil clientes dessas regiões serão beneficiados com a maior confiabilidade do serviço de distribuição. Também está prevista a ampliação e reforma de outras 130 subestações.

Também está prevista a aceleração das conexões dos clientes rurais. Para os próximos anos, a empresa prevê um aumento expressivo. Atualmente, são 21.300 conexões pendentes, valor que deve ser reduzido para 15.600 em 2020 e para 6 mil em 2021. “Vamos avançar nas regiões mais carentes, atendendo assentamentos e produtores de pequena renda, e com isso levar aquilo que é fundamental em um processo de desenvolvimento, que é a energia elétrica”, comentou.

O governador também ressaltou outro procedimento que será adotado no Estado, que irá simplificar a liberação de licenças ambientais para o funcionamento de PCH’s, que são as Pequenas Usinas Hidrelétricas.

O secretário de Desenvolvimento Econômico e Inovação, Adriano da Rocha Lima, assegurou que esse plano irá dar uma virada de página no que aconteceu nos últimos meses. “Considero que as discussões foram difíceis, mas felizmente a Enel entendeu que precisava mudar a forma de relacionamento, passando para uma ação mais colaborativa, e antenada com aquilo que são as prioridades do Estado de Goiás”, comentou. O secretário ainda lembrou que é preciso utilizar melhor o potencial do Estado na área solar, com a utilização de energia fotovoltaica. “Goiás e Tocantins são os estados com a melhor irradiação dentro do Brasil. Temos área e logística disponível”, pontuou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here