Sete estudantes da rede estadual representam Goiás na final da Olimpíada de Português, em São Paulo

0
311
Foto: Livia Wu

Mais quatros alunos da rede pública de ensino do Estado foram selecionados para a final da 6ª Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro, da Fundação Itaú Social. Com essa definição, Goiás terá sete alunos participando da seletiva final, prevista para o dia 9 de dezembro. Os estudantes goianos tiveram trabalhos escolhidos em quatro das cinco categorias do concurso.

A Olimpíada de Português, que também premia os professores dos estudantes, vai escolher as melhores produções dos alunos do 5º ano do Ensino Fundamental ao 3º ano do Ensino Médio e busca estimular o interesse pela leitura e a melhor escrita.  O concurso é dividido em cinco categorias: Crônica, Memórias Literárias, Poema, Documentário e Artigo de Opinião. Os dois últimos textos produzidos por alunos goianos e selecionados para a final foram nas categorias Documentário e Artigo de Opinião.

Os últimos selecionados foram: Gilberto Gonçalves Filho, estudante do Colégio Estadual Jalles Machado (Goianésia), com Artigo de Opinião; e Gabrielle Carrijo, Mell Ribeiro e Tarick Gabriel, alunos do Colégio Estadual Alfredo Nasser (Santa Rita do Araguaia), com Documentário. Além deles, já estavam na final na categoria Crônica: Adriely Stefany Ferreira, aluna do Colégio Estadual Vila Nova (Brazabrantes); e Beatriz Pereira, da Escola Estadual Nilda Margon Vaz (Catalão). Já a estudante Vitória Gonçalves, da Escola Estadual Cunha Bastos (Rio Verde), é finalista na categoria de texto Memória Literária.

O estudante Gilberto Gonçalves Gomes, 18, aluno do 3º ano do ensino médio, já é experiente em participar de olimpíadas. Ele é tricampeão na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP). Agora, além de se destacar na área de exatas, aceitou o desafio de concorrer no concurso na área de humanas pela primeira vez. E está fazendo bonito.  “Apesar de ter mais aptidão em matemática, gosto muito de escrever, sempre gostei. Por isso, de um tempo pra cá tenho participado de alguns concursos de redação”, ressalta.  O adolescente foi orientado pela professora Patrícia Fonseca Carvalho.

Gilberto diz que ingressar no concurso envolveu um misto de emoções. “Além da expectativa, a participação teve valor porque tive contato com outras culturas em uma grande troca de experiência, porque tem participação de gente do País inteiro. Nas Olimpíadas de Matemática, o pessoal é de exatas, são mais fechados. Já nessa, o pessoal de humanas é bem comunicativo”, afirmou.  O jovem também aproveitou para conhecer São Paulo, que visitou pela primeira vez. “Pude perceber que é uma cidade muito diversa. Gostei muito. Conheci o Museu do Futebol e um pouco da sua história”, acrescentou Gilberto Gonçalves.

A Olimpíada é promovida pela Fundação Itaú Social, em parceria com o Ministério da Educação e o Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (CENPEC). A 6ª edição da Olimpíada de Língua Portuguesa recebeu 8.274 inscrições de Goiás. Além da rede estadual de ensino, o Programa teve adesão das secretarias de Educação de 206 municípios, totalizando 1.647 escolas. No Brasil, foram 171.035 inscritos nas cinco categorias por gênero textual, com adesão de todos os estados e de 4.876 municípios (87,5% do total), alcançando 42.086 escolas.

O vencedor de cada categoria terá como prêmio, além da medalha, uma viagem cultural para uma cidade brasileira (ainda a ser definida), que será acompanhada de um monitor. Já o professor ganha medalha e uma viagem internacional de uma semana de imersão pedagógica. A cidade também será definida pela organização da Olimpíada. Já a escola ganha placa de homenagem e acervo para a biblioteca escolar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here