Governo de Goiás retira do comércio ilegal mercadorias avaliadas em R$ 1 milhão

0
502
Foto: Denis Marlon

A Secretaria da Economia calcula em R$ 1 milhão as mercadorias apreendidas nesta semana em galpão da Vila Jaraguá, em Goiânia, pela Delegacia Estadual de Repressão a Furtos e Roubos de Cargas. Lá havia produtos falsificados, contrabandeados, roubados e ainda com notas fiscais inidôneas. A operação batizada de “Natal de Honra”, que contou com a participação da Polícia Rodoviária Federal e do Batalhão Fazendário da Polícia Militar, além do Fisco e da Polícia Civil, teve o saldo revelado nesta sexta-feira, 6, em entrevista coletiva no pátio da Secretaria, para onde foram trazidos os produtos para avaliação e identificação de origem.

Os policiais chegaram acompanhados pela equipe da Delegacia Regional de Fiscalização de Goiânia. Cerca de 100 contribuintes estavam no local para pegar as mercadorias. A maioria das mercadorias tinha como destino final a região da Rua 44.

“Havia confecções de adultos e crianças, calçados, mercadorias com notas inidôneas, emitidas por Minas Gerais, produtos falsificados e contrabandeados”, afirma o delegado fiscal Gerson Segundo de Almeida. Na entrevista ele contou que o valor do ICMS sonegado com a multa foi estimado em R$ 300 mil. Além de comerciantes de Goiânia, havia fardos destinados a comerciantes das cidades de Palmeiras, Aparecida de Goiânia, Abadiânia e Senador Canedo.

O titular da Decar, Alexandre Bruno, disse que foram apreendidos três caminhões lotados que chegaram para descarregar em um galpão já conhecido pela Polícia Civil, por ser utilizado por transportadora suspeita.

Sobre o destino atual das mercadorias, o delegado fiscal explicou que uma parte pode ser legalizada com o pagamento do ICMS, se ficar comprovada sua origem legal. O produto falsificado será encaminhado para a Polícia Federal e contrabandeado irá para a Receita Federal. “O trabalho da Receita Estadual continuará na próxima semana, de segunda a quarta-feira, para a identificação dos contribuintes e o cálculo do imposto devido por cada um”, afirmou Gerson Segundo.

Com a prisão de três envolvidos em roubo de cargas, após ouvir 15 pessoas, a Polícia Civil obteve o endereço de dois pontos de distribuição das mercadorias. Um deles foi o galpão da Vila Jaraguá, já conhecido pela Polícia Civil e o Fisco, onde foram feitas três apreensões, incluindo a atual. O trabalho prossegue na área policial, para identificar o verdadeiro dono do galpão, assim como na área fazendária para cobrar o imposto dos sonegadores.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here