Artigo | A importância das habilidades socioemocionais no desenvolvimento de jovens e comunidades  

0
538

Por Ronaldo Pereira

Compreender e gerir emoções, ter autonomia, resiliência, capacidade de trabalho em grupo, solidariedade, entre outros, são conceitos que estão cada vez mais ligados à sala de aula. Com a aprovação da Base Nacional Comum Curricular, em 2017, as competências socioemocionais na educação tiveram ênfase no processo de ensino-aprendizagem.

Para além das compreensões de uma grade de matérias, parte fundamental do desenvolvimento do estudante vem da interação no ambiente escolar. Educar as emoções através da convivência, saber a hora de falar ou de agir, aprender a lidar com os impulsos e as emoções, são habilidades que vão transformar o relacionamento dessas crianças e jovens.

Ao investir nesses modelos de ensino, os estudantes que serão o futuro do país estarão mais preparados para os desafios profissionais e, também para convivência social. Neste sentido, com propósito de valorizar o desenvolvimento integral dos estudantes brasileiros, a FMC tem apoiado iniciativas com esse objetivo. É o caso do Instituto Ayrton Senna, que em 25 anos já beneficiou mais de 26 milhões de estudantes brasileiros e formou mais de 230 mil educadores por meio de seus projetos educacionais implementados na rede pública de ensino.

Um dos projetos desenvolvidos pela organização é o “Diálogos Socioemocionais” que, em 2019, com apoio da FMC, impactou mais de 32 mil alunos e capacitou aproximadamente 300 professores e gestores de 80 escolas estaduais do Mato Grosso do Sul, com foco nas cidades de Campo Grande e Dourados. A iniciativa é desenvolvida com estudantes do ensino fundamental 2 e ensino médio.

Assim como priorizamos em nossa empresa um ambiente inclusivo em que os pontos de vista diferentes, riquezas culturais e experiências são a chave para o nosso sucesso, queremos, ao apoiar essa iniciativa, promover essas competências também em nossas crianças.

Além disso, a agricultura está em nosso DNA, por isso, procuramos crescer e inovar ao mesmo tempo que melhoramos a qualidade de vida das pessoas, causamos impactos positivos na comunidade onde vivemos e trabalhamos.

Considerados um dos maiores polos agrícolas do país, o Mato Grosso do Sul, possui parte da sua economia voltada as atividades rurais. Dessa forma, promover o desenvolvimento pleno dessas regiões também passa pela missão de oferecer oportunidades e ensino de qualidade.

Por isso, acreditamos que ser produtivo vai além de fazer mais, está em fazer junto, não só no campo, mas em todos os setores da sociedade.

Ronaldo Pereira é presidente das Américas da FMC

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here