Orquestra Filarmônica de Goiás não vai acabar, garante Secult

0
239
Foto: Rafaella Pessoa

O Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Cultura (Secult Goiás), garante que a Orquestra Filarmônica de Goiás não vai acabar. Nesse sentido, esforços vêm sendo realizados para a manutenção da Orquestra Filarmônica e também do renomado e qualificado corpo sinfônico, priorizando um modelo econômico e de bom custo-benefício.

Os contratos temporários dos músicos estão vigentes e a Advocacia Setorial da Secult já analisa uma forma de regularizar o quanto antes as contratações definitivas. Em relação à recomendação do Tribunal de Contas do Estado – TCE/GO, a Secult fez o requerimento de um prazo adicional, até que a forma de gestão seja definida.

A Orquestra Filarmônica de Goiás está em pleno funcionamento e com o calendário 2020 definido. Para esse ano, o corpo sinfônico realizará 21 concertos no primeiro semestre, entre temporada principal, concertos de câmara, didáticos e turnê estadual. A primeira apresentação da agenda ocorrerá no Centro Cultural Oscar Niemeyer no dia 12 de março, com reapresentação em Anápolis, dia 13 de março. A participação no Festival de Inverno de Campos do Jordão, que acontece em julho, está confirmada. A direção artística e regência titular da Filarmônica continuam sob a responsabilidade do maestro Neil Thomson.

A Orquestra, mais do que nunca, continuará com sua nobre missão de democratizar a cultura e a arte por meio da música e de espetáculos acessíveis a todas as classes sociais e idades.

Relevância no cenário musical brasileiro

A Orquestra Filarmônica de Goiás é considerada hoje um dos três corpos sinfônicos mais relevantes do cenário musical brasileiro. Esse reconhecimento se deve a diversos fatores, entre eles a excelência artística dos músicos e musicistas, à trajetória do Regente Titular Neil Thomson e às experiências culturais que ela proporciona à população goiana por meio de seus concertos, apresentações em parques, igrejas, centro comerciais, ambientes acadêmicos, entre outros. Um dos destaques da Filarmônica é o seu comprometimento com a educação de crianças e jovens, sendo que, através dos Concertos Didáticos, oferece práticas educacionais lúdicas.

O ano de 2019 foi frutífero para a Orquestra, que realizou de março à dezembro, 44 eventos entre concertos, turnês e apresentações didáticas. A Filarmônica também participou do prestigiado Festival de Inverno de Campos do Jordão. Essas atividades reuniram um público médio de 20 mil pessoas em 2019.

Também no ano passado, entre os dias 27 de novembro e 2 de dezembro, sob a coordenação de Ulrich Schneider e com a regência de Neil Thomson, a Filarmônica gravou o terceiro álbum com obras do compositor brasileiro Claudio Santoro. A gravação das sinfonias completas integra o projeto “Brasil em Concerto”, iniciativa do Ministério das Relações Exteriores que pretende divulgar a música orquestral brasileira pelo mundo. Os álbuns serão lançados pelo selo internacional Naxos.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here