“UEG não será, de maneira alguma, apêndice de partido político”, garante Caiado

0
302
Foto: Lucas Diener

Reorganização e enxugamento estrutural com a criação de oito campus, um em cada região do Estado, e de 5 Institutos Acadêmicos; maior rigor na abertura de novos cursos; estrutura mais enxuta dos Conselhos Superiores (CSU); resgate das atribuições institucionais legais de gestão na Reitoria; valorização do profissional e da pesquisa na Universidade, com a remuneração do Coordenador de Programa Stricto Sensu. Estes são alguns dos pontos que compõem a Reforma Administra da Universidade Estadual de Goiás (UEG), sancionada nesta sexta-feira, 17, pelo governador Ronaldo Caiado.

Em coletiva no Palácio Pedro Ludovico Teixeira, ao lado do secretário de Desenvolvimento e Inovação, Adriano da Rocha Lima, e do reitor da universidade, Rafael Santana, o governador esmiuçou as diretrizes, ao sancionar a lei que promove a reestruturação da administração geral da UEG, e aprovar o anexo do Estatuto da UEG, que contempla integralmente a reforma.

“Tenho certeza absoluta de que o povo goiano vai sentir a diferença a partir de agora”, assegurou o governador, após acompanhar a apresentação conduzida por Rafael Santana. “O que vimos aqui é afrontoso, uma série de aberrações que desmoralizava o que se deve esperar de uma universidade. A UEG era tratada de maneira inconsequente, mais como palanque político do que como uma referência pedagógica para os estudantes do Estado de Goiás. É de causar espanto como essa situação perdurou por tantos anos”, lamentou o governador.

Caiado também se disse espantado com o fato da ilegalidade ter sido acolhida por tantos anos, justamente por aqueles que deveriam primar pela ética. “O lema na antiga UEG era ‘É ilegal, mas é virtuoso’. A que ponto nós chegamos?”, indignou-se. A instituição chegou a ter dois ex-reitores condenados criminalmente e um afastado por desvio de verbas federais.

Mas, ao voltar os olhos para o futuro da instituição, Caiado foi contundente. “A Educação pública precisa voltar a ser referência. Quanto à UEG, nós teremos parâmetros compatíveis com outras universidades que são destaque no País, dentro de uma metodologia de gestão, que passa agora a ser reconhecida e respeitada como instituição com base acadêmica.” O governador também descartou qualquer possibilidade de redução de verbas destinadas à universidade. “Não só será mantida, como será corretamente aplicada. Este é o diferencial do nosso governo. O dinheiro aplicado é multiplicado por mil em termos de resultados, porque é bem aplicado. Isso é visível em todos os órgãos, e nos permitiu terminar 2019, um ano difícil, com tudo pago”, frisou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here