Emater Goiás tem ação focada em famílias em situação de pobreza extrema

0
210
Foto: Internet

Em um feito inédito para a assistência técnica e extensão rural em Goiás, o Governo do Estado, por meio da Emater – Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária e também da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), assinou acordo de cooperação com a União, por intermédio dos Ministérios da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e da Cidadania (MC), que irá aportar R$ 3,8 milhões na execução de ações de inclusão produtiva de famílias rurais goianas classificadas como em situação de extrema pobreza.

O recurso tem como destino a execução da terceira fase do projeto “O Agro É Social – gerando renda e transformando vidas”. A ação foi lançada pela Emater em novembro de 2019 com a distribuição de 29 toneladas de sementes de milho e feijão, doadas pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), para famílias com alto índice de vulnerabilidade social. À Agência, além da proposta do projeto, coube a seleção das famílias, a distribuição dos grãos e a garantia da assistência técnica para o plantio e para o desenvolvimento das propriedades rurais.

Para esta terceira fase de O Agro É Social, o repasse do recurso, que é destinado à utilização ao longo do ano de 2020 conforme plano de trabalho assinalado pelo MC, foi oficializado mediante assinatura de todos os entes celebrada no último dia 24 de dezembro. Ao todo, o programa terá a vigência de 36 meses, ou seja, ficará em vigor até o ano de 2023, podendo ter novos repasses de recursos atualizados anualmente.

Pedro Leonardo Rezende, presidente da Emater em Goiás, explica que ao articular a parceria com o Governo Federal, a Agência tem como fim o atendimento às 1.556 famílias rurais goianas classificadas nos níveis 4 e 5 do Índice Multidimensional de Carência das Famílias Goianas (IMCF), conforme metodologia aplicada pelo Instituto Mauro Borges (IMB) em levantamento solicitado pelo Gabinete de Políticas Sociais (GPS) do Estado de Goiás. “Por isso, as famílias beneficiadas abrangem os dez municípios de maior índice de vulnerabilidade social e também aqueles componentes da Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno (Ride)”, ressalta.

Assim como em seu lançamento, a execução desta nova fase de O Agro É Social fica a cargo da Emater Goiás, que será responsável por elaborar um plano de aplicação dos R$ 2.442,00 que serão destinados a cada família em duas parcelas. Para aplicar os recursos, cada grupo familiar será orientado conforme sua vocação produtiva, sua expertise, considerando as características locais da região em que estão inseridos.

Pedro Leonardo Rezende explica que cada família poderá realizar o investimento em qualquer uma das diversas fases do processo produtivo de sua propriedade, seja com a aquisição de equipamentos ou de animais e insumos, desde que devidamente atestadas pelo técnico da Agência.

O recurso será repassado pelo Governo Federal diretamente às famílias, por meio do cartão do Bolsa Família, e a segunda parcela só será garantida àqueles beneficiários que utilizarem do depósito para de fato investir no fortalecimento e crescimento de sua produção, sendo necessário o parecer técnico da Emater para a liberação do montante final.

De acordo com o presidente da Emater, corroborando com o objetivo central de O Agro É Social de gerar renda no campo e melhorar a qualidade de vida das famílias rurais goianas em situação de vulnerabilidade social, a segunda fase do projeto segue buscando estruturar as atividades produtivas dos beneficiários com vistas à inclusão produtiva e promoção da segurança alimentar e nutricional.

“A proposta central do projeto é buscar meios de promover o fortalecimento da autonomia destas famílias, especialmente, no que toca à Emater, por meio do acompanhamento técnico e social e da instrução de acesso aos mercados. Neste sentido, quanto mais entes envolvidos na proposta, maiores e melhores serão os resultados. Por isso é que O Agro É Social é tão abrangente e envolve tantos atores públicos e sociais, todos procurando agregar e levar resultados a mais e mais famílias goianas do meio rural”, sustenta. (Taynara Borges/Emater Goiás)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here