Para 96% dos RHs finanças prejudica produtividade – educação financeira é a solução

0
303

A crise financeira tem afetado milhões de brasileiros e também deve afetar a produtividade das empresas em função da desmotivação dos funcionários. Além do grande número de desempregado são muitos os casos de acordos de redução de salários de colaboradores, e o impacto pode ser sentido nos resultados.

Segundo dados do Ministério da Economia referente ao Benefício Emergencial (BEm): 2.273.856 trabalhadores do país tiveram redução salarial de 25%, 2.913.107 tiveram redução de 50% e 3.500.954 tiveram redução de 70%. Isso sem contar os 6.992.528 que tiveram os contratos de trabalhos suspensos e que terão a situação financeira complexa na retomada dos trabalhos.

“Os próximos meses será de grande complexidade para as empresas, que terão que mesclar a necessidade de aumento de produtividade com os problemas financeiros dos trabalhadores que poderá gerar em muitos casos a desmotivação. O caminho que vejo para empresas é incentivar os colaboradores a aprenderem sobre educação financeira. No meu ponto de vista só isso poderá mudar essa realidade”, explica Reinaldo Domingos, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (ABEFIN).

Para embasar essa posição Reinaldo Domingos usa dados de uma pesquisa realizada em 2018 pela Unicamp, ABEFIN e o Instituto Axxus, na qual foram entrevistados 100 profissionais de RH, de empresas de médio e grande porte e que revelou que 96% dos profissionais de RH ouvidos acreditam que os colaboradores com mais dificuldades em administrar as próprias finanças são menos produtivos, inclusive têm evidências diretas desse impacto nas empresas

“Os números comprovam que a ausência da educação financeira tem impactos diretos no absenteísmo e na produtividade dos colaboradores de uma empresa. Por isso, é preciso expandir o debate para que a cultura deste tema tão relevante se torne cada vez mais uma realidade em nosso país nos próximos anos”, explica o presidente da Abefin, Reinaldo Domingos.

Outro dado interessante é que mais da metade das empresas (56%) já realizaram ações voltadas à educação financeira e mesmo essas sendo pontuais, 94% perceberam melhorias nos resultados e que os colaboradores superaram as dificuldades financeiras.

“A implementação da educação financeira nas empresas é um processo que proporciona resultados em curto, médio e longo prazo, tendo impactos diretos até mesmo na rentabilidade do negócio, proporcionando um ambiente laboral mais saudável e produtivo”, afirma Reinaldo Domingos.

O presidente da ABEFIN orienta as empresas buscarem projetos estruturados de educação financeira o que será um grande diferencial para atingir os resultados desejados e melhorar o ambiente de trabalho. Lembrando que com a retomada dos trabalhos presenciais cada vez maior, antigos problemas devem retomar potencializados, necessitando de prevenção para lidar com o tema.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here