Faro Editorial lança clássico de Martin Luther King

0
349

Manifesto lançado em 1964, durante os protestos não violentos contra a segregação racial nos Estados Unidos, obra marca o movimento pelos direitos civis e aponta problemas que ainda precisam de debate e resolução. “É importante entender a história que está sendo feita hoje, porque ainda há mais por vir, porque a sociedade americana está perplexa com o espetáculo do negro em revolta, porque as dimensões são vastas e as implicações profundas.”

Não, essas palavras não foram destaque nas mídias nos últimos meses. Esse é um trecho proferido por Martin Luther King em 1964… e demonstram o quando a questão racial é um debate atual, e que ainda segue a passos lentos. E é por isso que não podemos mais esperar…

A Faro Editorial lança este mês o clássico de Martin Luther King, um dos mais importantes nomes na luta pela igualdade racial no mundo, e que se fez ressoar em todo o planeta. Trata-se de importante documento para entender as raízes do racismo e seus efeitos nas sociedades.

A urgência desse debate foi desencadeada após um ataque cometido por membros da Ku Klux Klan na cidade de Birmigham, no Alabama – na época, um dos estados mais racistas da América. Na noite de 15 de setembro de 1963, bombas explodiram uma Igreja Batista, matando quatro meninas e gerando a revolta da população, que foi cruelmente reprimida pela polícia. Naquela noite, mais dois homens negros foram mortos, um pela polícia e outro por membros da Ku Klux Klan.

O templo também era usado por Martin Luther King para se reunir com lideranças da comunidade, e este atentado foi o marco para o início da luta a favor dos Direitos Civis dos negros nos Estados Unidos.

Neste livro, que custa R$ 39,90, o vencedor do Prêmio Nobel da Paz narra esses eventos, traçando a história da luta contra o racismo nos últimos três séculos, e olhando para o futuro, avaliando o trabalho que precisava ser feito para a igualdade de direitos e oportunidades aos negros e a seus descendentes. Trata-se de uma análise eloquente dos fatos e pressões, que impulsionaram o movimento sociais e as marchas públicas que tomaram as ruas naquela época e inspiram as de nosso tempo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here