Editorial | Garantias para a Educação

0
254

Partindo da ideia de que a escola deve ser o lugar mais importante de um bairro, de uma região e da cidade, os municípios agora têm a garantia de que os recursos necessários para gerir a área estão garantidos com a aprovação do novo Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb). A Proposta de Emenda à Constituição tornou permanente poucos meses antes dele ser extinto em dezembro deste ano.

Muita gente não entende a importância da aprovação do Fundeb. Ele reforça o investimento de estados, Distrito Federal, municípios e agora, da União, na área da Educação, garantindo investimentos para a melhoria do setor, seja na sua manutenção, ampliação ou melhoria. Agora, priorizar a educação pública no país está garantido – mais uma vez – na Constituição Federal.

E esta foi uma luta e mobilização da esquerda brasileira, apesar de depois de aprovada a emenda constitucional, todos comemorarem. A mobilização pela sua aprovação partiu das redes sociais e ganhou as manchetes de jornais, tvs até chegar às ruas. Todos pediam sua aprovação. O brasileiro mostrou sua força e demonstrou seu apreço pelo espaço que representa a escola em sua vida.

A escola, mesmo em tempos de pandemia e de ensino remoto, é onde a família de forma. Todo mundo tem um filho, um neto, um sobrinho, um vizinho que está estudando. Conhece algum professor e como esta categoria se desdobra para reproduzir conhecimento e o quanto este conhecimento favorece a melhoria da sociedade. É na escola, e o jornal Tribuna do Planalto sabe bem disso e colabora em suas páginas de ESCOLA para mostrar este trabalho, o quanto servidores da Educação renovam as formas de ensinar.

Este ano tem eleições municipais. Há um reboliço na corrida eleitoral com a saída do prefeito Iris Rezende, principal ícone político de Goiás e um dos maiores do país, da disputa eleitoral em Goiânia. A capital tem dezenas de pré-candidatos e pré-candidatas a prefeitura da cidade e 35 vereadores que devem ser eleitos para a próxima legislatura. É momento de analisar quem se compromete com a educação.

É preciso enxergar a escola como lugar de referência da família. Onde os filhos aprendem e assistem as aulas em um turno e no outro recebem reforço escolar, praticam atividades artísticas, culturais, esportivas e de lazer, a partir da valorização dos profissionais da educação para que este reforço também seja recompensado. Que a escola seja onde a família se encontre para dividir conhecimentos, convivência, que ela seja a nova praça do bairro. Que seja a referência segura de cada setor. Que as famílias se aproximem de seus filhos na escola. A sociedade ganhará certamente com isso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here