Artigo | Por um mandato reformista

0
484

Por Átila Marques

A necessidade de reformas é algo que se impõe na medida que o Poder Público arrecada muito e entrega pouco. Várias nações passaram pelo mesmo desafio de redesenhar seu Estado, e agora chegou o momento de encararmos nossos problemas de frente se desejamos constituir-se em uma nação desenvolvida, próspera e justa.

Sabemos que um governo eficiente para o cidadão é aquele que arrecada na medida que a população consegue pagar e entrega serviços na medida que a população demanda. E desde 2014 ficou evidente que estávamos indo no sentido contrário, pois mesmo com uma arrecadação acima da média de outros países emergentes, o setor público brasileiro, salvo raras exceções, entrega pouco a população.

Felizmente a maior parte da classe política percebeu esse cenário e resolveu colocar em discussão a necessidade de uma Reforma Administrativa para possibilitar um setor público mais barato e eficiente e uma Reforma Tributária para desonerar o setor produtivo. Entretanto, nem tudo são flores, hoje esse debate está restrito ao Congresso Nacional e a Assembleia Legislativa de Goiás, já os vereadores da nossa Câmara Municipal de Goiânia preferem usar tempo e recursos para discutir, por exemplo, criação do “Dia do Saci”.

É necessário mudar essa realidade, por isso sou pré-candidato a vereador por Goiânia. Quero trabalhar por um mandato reformista. Uma das minhas primeiras prioridades será a Reforma Administrativa para diminuir o número de secretarias e aumentar a carga horária de alguns servidores de 6h para 8h. Não é aceitável Goiânia ter mais secretarias que municípios maiores, como Belo Horizonte e São Paulo, ou ter servidores trabalhando apenas 6h com salários maiores que a inciativa privada, que a regra é 8h e salários menores.

A outra prioridade será implantar a Lei da Liberdade Econômica em Goiânia. A nova legislação que simplifica abertura de micro e pequenos empreendimentos e ajuda na geração de empregos já está em vigor desde junho do ano passado e não teve nenhuma regulação por parte da Prefeitura de Goiânia que prefere ignorar a mudança na lei para não ter queda na receita, afinal, as taxas que foram extintas podem reduzir a arrecadação do Paço em mais de R$ 30 milhões por ano.

O reformismo, portanto, deve ser minha principal bandeira se eleito. Não há dúvida que aumentar a eficiência do setor público, diminuir os tributos e simplificar abertura de empresas é o melhor caminho para o cidadão goianiense. Goiânia não pode esperar mais.

Átila Marques, 23 anos, estudante de Direito, ex-repórter da Band News FM e pré-candidato a vereador em Goiânia pelo Partido Liberal.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here