Produtores de queijos artesanais recebem Selo Arte em Goiás

0
286
Crédito: Secom

O governador Ronaldo Caiado e a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, entregaram, no último sábado, 03, as primeiras habilitações Selo Arte para produtores de queijos artesanais em Goiás. Os certificados foram entregues para as queijarias Fazenda Coqueiral, de Corumbá de Goiás; Santa Fé da Lagoinha, de Santo Antônio do Descoberto; e Queijaria Lima, de Alexânia. A solenidade ocorreu na sede do Sindicato Rural de Alexânia, dentro da programação do projeto Agro pelo Brasil, realizado pelo Sistema Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil/Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (CNA/Senar).

Criado pelo Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e desenvolvido pelo Governo de Goiás, o Selo Arte é uma forma de regularizar a fabricação artesanal de queijos, gerar renda ao produtor, com garantia de qualidade e controle sanitário dos produtos ofertados à sociedade. “O selo diminui a burocracia, qualifica o produto, dá facilidade para que seja comercializado em outros Estados. Vai facilitar e muito a vida do produtor rural”, assegurou o governador Ronaldo Caiado.

A ministra Tereza Cristina parabenizou os produtores que receberam o selo. “Vocês vão representar uma série enorme de produtores do estado de Goiás. Que essa rota do turismo rural possa implementar essa gastronomia tão gostosa de Goiás e de outros estados do país”.

Secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), Antônio Carlos de Souza Lima Neto destacou como o Selo fortalecerá a produção goiana. “Demos o pontapé à produção artesanal de queijos. É efetivamente uma política pública que dá oportunidade aos produtores de agregarem valor em sua comercialização e fortalecer cada vez mais nosso setor agropecuário”, reforçou.

Emocionado ao receber o Selo Arte, o proprietário da Queijaria Lima, Rafael da Silva Lima, de 53 anos, afirmou que espera aumentar a produção, que hoje já chega a 200 quilos de queijo por dia. “É motivo de alegria. Vai trazer melhorias e dinheiro, que traz conforto para a família. Tenho confiança nisso”, declarou.

Além das três queijarias artesanais que já receberam o Selo Arte, atualmente, há outros sete projetos em Goiás com requerimentos aprovados e mais quatro que tramitam na Agência Goiana de Defesa Agropecuária (Agrodefesa). O estado é o primeiro da região Centro-Oeste a conceder o selo de qualidade. Outros cinco estados já concederam o Selo Arte: Minas Gerais, São Paulo, Santa Catarina, Pará e Espírito Santo.

Informação e investimento
O Governo de Goiás, por meio da Seapa, tem realizado uma série de ações com representantes da cadeia produtiva do leite e instituições ligadas à agropecuária para alinhar ações estratégicas relativas ao Selo Arte em Goiás. A ideia é apoiar os produtores a se adequarem ao programa, estimular a produção segura e agregar valor, o que reflete na geração de renda.

Como apoio ao produtor interessado em obter o selo, o Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) e da Agrodefesa, lançou durante a Semana da Agricultura Familiar, em julho, o Manual de Orientação para Queijarias Artesanais, que oferece orientações técnicas para o fomento da produção de queijos artesanais e contribui para as boas práticas de fabricação. O documento está disponível no site da Seapa (www.agricultura.go.gov.br).

O produtor rural Rafael Lima elogiou o manual e disse que “sem ela seria impossível”. Além de conquistar o Selo Arte, Rafael foi beneficiado com linha de crédito do Programa Produtor Empreendedor. “O recurso será aplicado em melhorias para a empresa, na compra de equipamentos e investimento em transporte. Com certeza, vai aumentar a produção, pois vou trabalhar com mais comodidade, e o serviço fica mais ágil e a gente consegue desenvolver mais”, pontuou.

Conforme o presidente da GoiásFomento, Rivael Aguiar, a entidade tem a oferecer, neste primeiro momento, R$ 10 milhões em empréstimos a pequenos produtores que necessitam modernizar a produção para receber o Selo Arte. “O valor para cada produtor é de até R$ 50 mil, com taxas de juros subsidiadas. Eles vão pagar apenas 0,5% ao mês. O prazo também é mais estendido, de 60 meses, sendo 12 de carência”, informou Rivael.

Regulamentação
A produção artesanal de queijos passou a ser regulamentada em Goiás com a Instrução Normativa 06/2019, da Agrodefesa, assinada em dezembro de 2019, que normatiza a implantação do Selo Arte. Futuramente, outros produtos, como embutidos, pescados e mel, também deverão ser regulamentados.

O produto artesanal será identificado, em todo o Brasil, por um selo único com a indicação ARTE. Para ser enquadrado, a elaboração do produto de origem animal (POA) deverá ser realizada com predominância de matérias-primas de origem animal determinada, a partir de técnicas prioritariamente manuais e por quem tenha o domínio integral do processo.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here